Maceió monta "palcos do terror" para chocar motoristas e reduzir acidentes no Carnaval

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias
Em Maceió

Para tentar conscientizar o motorista que a mistura de bebida e direção pode causar acidentes e matar pessoas, a SMTT (Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito) de Maceió realiza uma campanha educativa inusitada para este Carnaval, com o objetivo declarado de “chocar” motoristas. Desde domingo (7), cinco “palcos do terror” estão montados nos principais pontos de tráfego e saídas da capital alagoana, onde atores encenam acidentes de trânsito. Para compor o cenário, são utilizados carros de acidentes que resultaram em mortes, além de maquiagem que imita sangue e ferimentos. Na parte de baixo do palco, a frase alerta: “já pensou se fosse você?”.

Para completar o cenário fúnebre, quatro atores fazem o papel da "morte", com capa preta e foice na mão. Eles aparecem vagando em torno do palco do terror, à beira das avenidas, "chamando" os motoristas que passam pelo local.

  • Beto Macário/UOL

    Ator encena a "morte" em cruzamento movimentado de Maceió; campanha tem objetivo de chocar motoristas e evitar que a combinação álcool e direção eleve número de acidentes

A ação tenta reduzir o índice de acidentes não só na capital, mas em especial das rodovias, durante o Carnaval. Em 2009, embora o número de mortes tenha caído de oito para seis em relação ao ano anterior, o número de acidentes nas rodovias estaduais e federais saltou de 66 para 69, mesmo com a adoção da lei seca. Já dentro do município foram registrados apenas oito acidentes com feridos, mas sem mortes.

A diretora de Educação no Trânsito de Maceió, Caroline Machado, afirma que a campanha tenta causar impacto à primeira vista, e assim causar medo de dirigir sob efeito de álcool. “Estamos com um trabalho bastante chocante este ano. Para deixar tudo mais real, os carros são de acidentes reais, onde pessoas perderam as vidas. Tudo para sensibilizar”, disse.

Segundo Machado, a campanha segue o modelo iniciado no ano passado, que já utilizava atores encenando pessoas acidentadas – que este ano foi complementado com as imagens da morte chamando os motoristas. “É inegável que o consumo de bebida aumenta nessa época do ano, e vamos trabalhar para combater o maior motivo de acidente de trânsito. Este ano, além dos palcos do terror, trabalhamos também com atividades lúdicas, como teatros de perna-de-pau e panfletagem”, afirmou.

A diretora ainda explica que a meta é fazer com que os maceioenses que viajam durante o Carnaval não bebam e dirijam. “Nós colocamos os palcos nas saídas norte e sul da cidade para que as pessoas vejam antes de pegar a estrada. Não podemos colocar em outros pontos porque expande nossa área de atuação, mas a campanha tem como objetivo diminuir os acidentes não só na cidade, mas em todo o Estado”, declarou Caroline Machado.

O superintendente da SMTT, Jorge Coutinho, assegura que a campanha tenta fugir do foco tradicional de pedir para que as pessoas evitem beber. "É difícil você pedir a alguém que não beba durante o Carnaval, pois é um período de festa. O que tentamos é conscientizar as pessoas que, quando beberem, não dirijam; que elas passem a chave ou usem outro meio transporte", afirmou.

  • Beto Macário/UOL

    “Estamos com um trabalho bastante chocante este ano. Para deixar tudo mais real, os carros são de acidentes reais, onde pessoas perderam as vidas”, explica a coordenadora da ação

Motoristas comentam

Aprovada por uns, criticada por outros, o certo é que a campanha conseguiu chamar a atenção dos motoristas que passam pelos “palcos do terror”. Para o autônomo Julio Cezar, 62, a campanha não tem como não chamar a atenção para o problema de beber e dirigir.

“Achei muito interessante, pois é uma abordagem diferente, para conscientizar. Estou vindo do interior e não tinha visto nada do tipo. Faz a garotada pensar nos excessos que muitos cometem. Acho muito válida a iniciativa”, afirmou.

Para a dona-de-casa Eurídice Acioly, a campanha é apelativa, apesar de acreditar em um efeito positivo. “Ela está atraente, principalmente para esta época do ano, quando todo mundo bebe e acha que pode dirigir. É preciso mais campanhas deste tipo em outras festividades, como o São João, por exemplo”, disse.

O universitário de direito João Rafael, 21, argumenta que a imagem é “muito forte”. “Embora reconheça que o assunto merece atenção, tem crianças que passam pelo local e achei a cena forte. Mas espero que a campanha dê resultado”, ponderou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos