Alex de Jesus/ O Tempo/ AE

Caso Eliza Samudio

Polícia retoma buscas em sítios de Bruno e de Bola em Esmeraldas (MG)

Rayder Bragon

Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte

A Polícia Civil de Minas Gerais retomou no final da tarde desta terça-feira (13) as buscas no caso do desaparecimento de Eliza Samudio, ex-namorada do goleiro Bruno, no sítio do atleta em Esmeraldas (MG), informou a assessoria de imprensa, que não divulgou o que motivou o retorno até o local. A polícia, no entanto, confirma que as buscas são retomadas sempre que surgem novos fatos.

As buscas se estenderam também para outro sítio em Esmeraldas, alugado pelo ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola ou Paulista, apontado pela polícia como quem estrangulou a vítima.

A polícia tentou ouvir hoje novamente Elenilson Vitor da Silva, administrador do sítio de Bruno, para onde teria sido levada Eliza, mas ele voltou a usar seu direito de permanecer em silêncio no Departamento de Investigações de BH, segundo informou seu advogado aos jornalistas. Por meio da assessoria de imprensa, o delegado do caso, Edson Moreira, não relacionou a retomada das buscas ao depoimento de Silva.

Nesta tarde, também aconteceu o depoimento do adolescente J., que foi transferido do Rio de Janeiro a Minas Gerais.

O adolescente deixou o Centro de Triagem no Rio de Janeiro na tarde desta terça e foi escoltado por policiais até Minas Gerais. Ele foi ouvido sobre o caso pelo juiz Elias Charbil Abdou Obeid e pelo promotor de Justiça Leonardo Barreto Moreira Alves.

A transferência do menor para Minas foi autorizada ontem, pela 2ª Vara de Infância e Juventude do Rio de Janeiro. A polícia quer a acareação entre ele e outro primo de Bruno, Sérgio Rosa Sales, para confrontar as versões apresentadas pelos dois suspeitos no caso.

Mais sobre depoimentos
Quatro suspeitos de envolvimento no desaparecimento de Eliza prestaram depoimento à Polícia Civil nesta segunda (12) e permaneceram calados, sob orientação de seus advogados: Elenilson Vitor da Silva, Wemerson Marques de Souza, o Coxinha, Flávio Caetano de Araújo, Elenilson Vitor da Silva, e o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola ou Paulista, apontado pela polícia como quem estrangulou a vítima.

Wemerson e Flávio são amigos de Bruno e teriam ajudado a esconder o bebê de cinco meses de Eliza. Ela lutava na Justiça para que o goleiro reconhecesse a paternidade da criança.

A orientação para não responderem às perguntas foi feita pelos advogados, que não tinham tido acesso às investigações. Somente ontem os advogados dos suspeitos tiveram acesso ao inquérito do caso, cerca de 800 páginas.

Também ontem, o adolescente, primo que delatou Bruno à polícia, mudou sua versão sobre os acontecimentos nesta segunda (12). Segundo ele, Bruno esteve no sítio com Eliza no dia da morte e foi Macarrão quem amarrou a ex-amante. (Leia mais)

Outra ex-amante
A delegada Ana Maria Santos, chefe da Delegacia de Homicídios de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, afirmou nesta terça (13) que Fernanda Sales, que seria ex-amante do goleiro, também está sendo investigada no caso do desaparecimento.

Segundo a delegada, o nome de Fernanda é citado no inquérito porque ela estaria com Bruno no dia em que Eliza levou o bebê apartamento do atleta no Rio de Janeiro. “[O nome] começa a aparecer em alguns depoimentos, e nós vamos com certeza enveredar por esse caminho”, disse.

As investigações apontam que Fernanda estava na casa do Bruno no dia 4 de junho e, segundo a polícia, foi ela quem recebeu Eliza e o bebê no Recreio dos Bandeirantes (zona oeste do Rio). Depois, teria ido a Minas Gerais com o goleiro, no dia seguinte, com um BMW e o bebê. No dia 7, retornou ao Rio para devolver o carro em uma concessionária. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos