PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Webjet tem cancelamento de 51,4% de seus voos programados; problema já dura quatro dias

Do UOL Notícias<br>Em São Paulo

30/09/2010 08h14Atualizada em 30/09/2010 15h03

De acordo com o balanço das 15h da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), a Webjet Linhas Aéreas registrava cancelamento em 52,9% de seus voos programados. Foram 36 voos cancelados em todo o país, de um total de 68 programados, além de 11 voos com registro de atraso das 0h até as 15h.

É o quarto dia de problemas com a empresa aérea. Na segunda-feira (27), após um dia de caos na empresa, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu a venda de bilhetes da empresa até sexta-feira (1). Também na terça-feira (28) e na quarta-feira (29), foram registrados atrasos e cancelamentos de voos.

A Anac informou que segue com uma equipe de fiscalização na central de operações da Webjet e que um laudo deve sair dentro de duas semanas. Com base nos resultados, a Anac decidirá se autuará a empresa. Entretanto, a agência disse que se até a próxima sexta os atrasos continuarem, novas mediadas podem ser tomadas.

A companhia afirmou que os cancelamentos que vêm ocorrendo desde segunda-feira foram provocados porque a companhia foi obrigada a reduzir o número de voos na última semana de setembro para cumprir a lei nº 7.183, que regula os limites de trabalho dos aeronautas.

Pela lei, um tripulante de avião a jato não pode ultrapassar 85 horas de voo por mês, 230 horas por trimestre e 850 horas por ano, por questões de segurança operacional.

Em julho, a Webjet foi autuada pela Anac em R$ 225 mil por ter excedido a carga horária da tripulação.

Segundo a empresa, o problema na programação foi localizado em alguns aeroportos do país e cinco medidas foram tomadas para resolver a situação: reacomodação dos passageiros em voos da própria Webjet; reacomodação em voos de outras companhias aéreas; isenção total das taxas de remarcação normalmente aplicadas; reembolso das tarifas pagas pelas passagens e fretamento de aeronaves.

A companhia diz ainda que, devido ao forte crescimento da demanda, precisou remanejar passageiros. “Vale destacar que 90% deles foram avisados previamente, evitando deslocamentos desnecessários até os aeroportos”, afirmou nota da empresa.

Falha do simulador de voo
De acordo com fontes da empresa, na raiz do problema está uma falha nos simuladores de voo da Flex, fornecedora da Webjet, utilizados em treinamento de novos tripulantes.

A empresa contratou 64 copilotos e 85 comissários de bordo entre junho e agosto, mas eles não puderem começar a trabalhar porque o treinamento de voo foi comprometido pelo problema no simulador, que ficou inutilizado por 22 dias.

Cerca de 20 copilotos já deveriam ter começado a pilotar no início de setembro, o que reduziria sensivelmente o alto índice de cancelamentos, de acordo com uma fonte da empresa. Os outros contratados iniciarão seus trabalhos em outubro e em novembro.

Ainda segundo essa fonte, a Webjet se programou para evitar um caos nos aeroportos e entrou em contato com quase todos os clientes com antecedência, o que evitou filas nos aeroportos por conta dos cancelamentos.

Cotidiano