Topo

Dona de casa encontra camisinha em lata de extrato de tomate no interior de São Paulo

Fabiana Marchezi

Do UOL, em Campinas (SP)

13/08/2012 14h41

Uma dona de casa do município de Casa Branca (230 km de São Paulo) levou um susto após um jantar na semana passada. Maria Aparecida Silva afirma ter encontrado um preservativo no fundo de uma lata de extrato de tomate.

De acordo com o advogado Acácio Della Torre Junior, responsável pelo caso, a mulher comprou três latas, usou duas e metade da terceira - onde encontrou a camisinha - depois de jantar com a filha e uma vizinha na última quinta-feira (9). O caso só foi divulgado nesse domingo (12).

Segundo o boletim de ocorrência registrado na Delegacia do Município, ela já havia ingerido o molho, e como sobrou um pouco de macarrão, pegou a lata novamente. "Quando eu tirei mais um pouco de molho, vi o preservativo lá dentro", disse.

Ao procurar ajuda, a dona de casa foi orientada a acionar o Procon da cidade. De acordo com a coordenadora do órgão, Carmem Idalize Porfírio, assim que foi procurada pela consumidora, um contato foi feito para com a Cargill, fabricante do molho da marca "Elefante", usado pela dona de casa.

A empresa, segundo a coordenador, se prontificou a resolver o problema, mas a consumidora não quis entrar em acordo e resolveu continuar com a denúncia. "Ela não quis tratativa imediata com a empresa", disse Carmem.

A denúncia também foi levada à Vigilância Sanitária, que deve solicitar uma vistoria na fábrica da Cargill. Um documento foi elaborado com os dados do produto, como data de validade e identificação.

Ainda segundo o advogado, outros documentos serão solicitados. O cupom fiscal da compra das três latas foi preservado. "Caso ela prossiga com o processo, deve ser indenizada por danos morais e materiais, afinal chegou a ingerir o molho que continha o preservativo. Ela deve ter esse prejuízo sanado", disse.

Outro lado

A Cargill informa que tomou conhecimento do caso na cidade de Casa Branca via SAC (serviço de atendimento ao cliente), por meio do Procon, e até o momento não teve acesso à amostra do produto para analisá-la e tomar as providências cabíveis.

Em nota, "a empresa reitera seu compromisso com a segurança alimentar e seus padrões de higiene e qualidade. Além disso, trabalha continuamente para aperfeiçoar seus rígidos padrões de qualidade em sua fábrica de processamento de tomates em Goiânia, os quais são diariamente monitorados por equipes especializadas, com o objetivo de avaliar os processos de fabricação, implementação de inovações e melhorias, independentemente de quaisquer exigências formais".

Mais Cotidiano