PUBLICIDADE
Topo

Temporal derruba árvore sobre moto e mata casal em Campinas (SP)

Vitímas foram atingidas pelos galhos e acabaram se desequilibrando da moto - Celso Titton / Arquivo Pessoal
Vitímas foram atingidas pelos galhos e acabaram se desequilibrando da moto Imagem: Celso Titton / Arquivo Pessoal

Fabiana Marchezi

Colaboração para o UOL, em Campinas (SP)

05/11/2015 12h07

O temporal que atingiu Campinas (a 93 quilômetros de São Paulo) na noite de quarta-feira (4) derrubou uma árvore sobre uma motocicleta e matou o casal que a ocupava.

De acordo com a polícia, Juliano Henrique da Silva, 35, e Juliana Alves dos Santos, 29, seguiam pela rua Luiz Smânio, no Chapadão (zona norte do município), quando foram atingidos por galhos de um flamboyant de grande porte, que caiu inteiro na via.

Segundo o empreiteiro Celso Titton, 55, que mora em frente ao local, chovia e ventava muito no momento do acidente. “Foi uma fatalidade com o casal. Eles foram atingidos pelos galhos e acabaram se desequilibrando. Eu saí correndo para tentar ajudar em alguma coisa, mas eles já estavam mortos. Bateram a cabeça e morreram na hora”, contou.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu por volta das 22h. A perícia foi acionada e deve investigar o motivo da queda da árvore. Os peritos vão avaliar se faltou manutenção ou não.

Titton disse ao UOL que essa foi a segunda árvore desse porte que caiu na região nos últimos dias. “A outra, que caiu uns dias atrás, não atingiu ninguém. Mas essas árvores enormes no meio da avenida são uma tragédia anunciada”, afirmou.

Após a perícia, os bombeiros começaram cortar a árvore. Por volta das 10h, a reportagem esteve no local e a prefeitura já havia feito a retirada total da estrutura.  

Segundo o Cepagri (Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura) da Unicamp, choveu 32,2 milímetros em três horas e meia. O vento máximo registrado pelo medidor local foi de 51 km/h, às 16h20.

Entretanto, segundo a meteorologista Ana Ávila, em outros pontos da cidade pode ter chovido mais e os ventos podem ter sido mais fortes.

“Apesar de ser considerado um volume de chuva normal, esses dados são do medidor que fica na Unicamp. Em outras áreas pode ter chovido e ventado mais”, afirmou.

Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria de Serviços Públicos informou que o flamboyant, que tinha entre 40 e 45 anos, era monitorado e passou por manejo em abril, quando os técnicos não observaram nenhum problema estrutural que indicasse queda.

Para a administração municipal, a queda da árvore pode ter sido provocada pelo acúmulo de chuvas dos últimos dias e pela trepidação do solo, uma vez que ela estava plantada no canteiro central de uma via que tem bastante fluxo de veículos.

Entretanto, o laudo da Polícia Civil que vai apontar as causas deve sair em 30 dias.
 

Cotidiano