Reforma da Previdência

Protestos contra reformas do governo Temer ocorrem em 19 Estados e no DF

Do UOL, em São Paulo

O Dia Nacional de Paralisações e Greves contra as reformas da Previdência e Trabalhista propostas pelo governo do presidente Michel Temer, que ocorre nesta quarta-feira (15), registrou atos em ao menos 19 Estados e no Distrito Federal.

As cidades de São Paulo, Curitiba e Salvador foram as que registraram maiores reflexos no trânsito por conta das paralisações no transporte público e de protestos em vias importantes.

Mais atos ainda devem ocorrer ao longo do dia nas capitais brasileiras. Os protestos são organizados por centrais sindicais e movimentos como CUT (Central Única dos Trabalhadores), CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo.

Em São Paulo, onde é esperado o maior protesto, a concentração será na avenida Paulista, às 16h. No Rio de Janeiro, o ato começará às 16h, na Candelária.

Em discurso hoje, Temer defendeu a reforma da Previdência proposta por seu governo. "Nós apresentamos, convenhamos, um caminho para salvar a Previdência do colapso, para salvar os benefícios dos aposentados de hoje e dos jovens que se aposentarão amanhã. Isso, meus amigos, parece ser coisa 'será que é para tirar direitos de pessoas?'. Em primeiro lugar, não vai tirar direito de ninguém. Quem tem direito já adquirido, ainda que esteja no trabalho não vai perder nada do que tem", disse.

São Paulo

A capital paulista amanheceu sem ônibus e metrô. Os ônibus do transporte urbano voltaram a circular por volta das 8h, como anunciado pelo sindicado dos trabalhadores. Os trens do metrô começaram a funcionar parcialmente na região mais central da cidade a partir das 6h30. A paralisação é de 24 horas. Já os trens de todas as linhas da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) circulam desde cedo. O congestionamento bateu recorde nas principais vias da cidade para o período da manhã.

Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

Paraná

Curitiba também amanheceu sem circulação de ônibus. De acordo com o Sindimoc (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana), a paralisação que teve início hoje seguirá por tempo indeterminado. Além de protestarem contra a reforma da Previdência, os trabalhadores reivindicam reajustes no salário. O quilômetro 6 da BR-277 em Paranaguá, no litoral do Estado, também teve protesto e ficou totalmente bloqueada.

Motoristas de ônibus de Curitiba aderem à paralisação

Bahia

O protesto contra a reforma da Previdência impactou na rotina de quem passou pela avenida Antonio Carlos Magalhães, em Salvador. Com a pista bloqueada pelos manifestantes, ônibus e veículos foram impedidos de circular na região. Com isso, centenas de pessoas que acessaram a avenida ACM ou vias ligadas a essa região ficaram presas em congestionamentos.

Metalúrgicos, bancários, professores fazem greve em Salvador

Distrito Federal

PM-DF

Manifestantes estenderam uma faixa contra a reforma da Previdência no prédio do Ministério da Fazenda, em Brasília. Mais cedo, eles invadiram o edifício, em uma área próxima ao Congresso Nacional e ao Palácio do Planalto. Segundo a Polícia Militar, por volta das 10h havia cerca de 2.000 pessoas em frente ao prédio, com bandeiras da CUT, MST e MSTS. A polícia diz que vidraças foram quebradas. Manifestantes também realizam uma passeata saindo da Catedral de Brasília em direção ao Congresso Nacional.

Rio de Janeiro

Protestos fecharam ruas e causaram retenções no trânsito em diversos pontos no Rio. Um grupo de professores protestou em frente à sede do governo do Estado, em Laranjeiras, interrompendo o trânsito da rua Pinheiro Machado.  Eles chegaram a fechar um dos acessos ao túnel Santa Bárbara, que liga o bairro a zona norte da cidade, mas liberaram o local por volta das 12h40. No centro, manifestantes da Frente Internacionalista dos Sem-Teto protestaram em frente ao Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia). O acesso do viaduto Gasômetro para a avenida Rio de Janeiro, que liga o local à zona portuária, ficou bloqueado.

Minas Gerais

Em Belo Horizonte, manifestantes marchavam em direção à Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Os metalúrgicos de Juiz de Fora, no interior do Estado, também aderiam aos protestos. Os funcionários da Mercedes-Benz da cidade mineira fizeram manifestação em frente à fábrica.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, manifestantes estão mobilizados em piquetes, realizando paralisações e atos em alguns pontos da cidade. Um grupo realizou uma caminhada na avenida Mauá, próximo à rua da Conceição, o que causou lentidão no trânsito. Os ônibus e a Trensurb circulam normalmente.

Reprodução/Facebook/SIMPA Sindicato dos Municipários de Porto Alegre

Pernambuco

Quem chegou ao metrô do Recife às 9h encontrou os portões fechados. Quem quiser utilizar o transporte deverá retornar às 16h, quando os portões serão reabertos nas linhas centro e sul. A linha Diesel (VLT) não funcionará hoje. De acordo com Levi Arruda, diretor de comunicação do sindicato dos Metroviários (Sindmetro-PE), a decisão de parar for unânime entre os presentes na assembleia realizada pela associação na estação Recife do metrô na noite dessa terça-feira (14). O expediente é considerado um "ato político" por Levi. A partir desta quinta-feira (16), a circulação de trens deve voltar ao habitual, das 5h às 23h. Houve protestos na Grande Recife.

Protesto contra a reforma da Previdência no centro do Recife

Alagoas

Em Alagoas, servidores da Educação paralisaram as atividades por tempo indeterminado. Os motoristas e cobradores de ônibus urbanos de Maceió também decidiram parar, e os coletivos não vão circular das 10h ao meio dia de hoje.

Ceará

Movimentos sociais e várias categorias de profissionais realizaram um ato na praça Clóvis Beviláqua (praça da Bandeira). A praça Portugal também recebeu manifestação das categorias. Na avenida do Imperador e na avenida Tristão Gonçalves, no centro, ônibus tiveram que parar e os pneus foram furados pelos próprios manifestantes. Com isso, o congestionamento ficou longo nas vias centrais da cidade.

Reprodução/Facebook/CSP - Conlutas

Piauí

Em Teresina, um ato contra as reformas trabalhista e da Previdência reuniu manifestantes em frente ao prédio do INSS, no centro da cidade.

Reprodução/CUT Brasil
Manifestação em São Luis ocorre em frente a uma agência do INSS

Maranhão

Em São Luis, segundo informações da CUT, trabalhadores protestam em frente a uma agência do INSS.

Há também registro de protestos em Manaus (Amazonas), Belém (Pará), Palmas (Tocantins), Natal (Rio Grande do Norte), Vitória (Espírito Santo), Chapecó (Santa Catarina), Campo Grande (Mato Grosso do Sul) e Goiânia (Goiás).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos