Acusação de furto de marmita causa demissão e vira caso de polícia no interior de SP

Eduardo Carneiro

Colaboração para o UOL

  • Divulgação

    Uma marmita com pizza virou caso de polícia em Atibaia

    Uma marmita com pizza virou caso de polícia em Atibaia

Uma funcionária foi demitida e denunciada na Delegacia de Atibaia, interior de São Paulo, depois de comer a marmita de uma colega de trabalho na última semana. O ato foi registrado por câmeras de segurança instaladas no refeitório da empresa.

Vitória Balbão admitiu que comeu a marmita (800 gramas de pizza) de outra funcionária da Infobeleza, escola que oferece cursos profissionalizantes na área da beleza e onde trabalhava desde março de 2016 como vendedora. Mas, segundo ela, isso só aconteceu por causa de um engano.

"Fazia uma espécie de revezamento de marmitas com mais duas colegas, e uma delas me havia dito que deixou uma marmita para o caso de eu sentir fome mais tarde. Vi que só havia uma marmita à noite, sem identificação, e comi. Não me especificaram que alimento tinha na marmita", afirmou ao UOL.

Vitória viu na mesma noite que a funcionária ficou indignada com o sumiço de sua marmita, mas não se pronunciou. No dia seguinte, porém, ao conversar com as duas colegas com quem fazia revezamento, disse que percebeu que havia cometido um engano e imediatamente foi pedir desculpas à colega – que teria aceitado.

A vendedora alega que trabalhou normalmente no dia seguinte - uma quarta-feira -, até ser convocada para uma reunião com dois proprietários da escola e a gerente de sua área. "Me disseram que o que eu tinha feito era muito grave, que tinham as imagens e que poderia ser até demissão por justa causa. Tentei explicar, mas não quiseram me ouvir", afirmou.

Vitória ainda acusa a empresa de ter lhe oferecido um acordo em que ela pediria demissão e, em troca, receberia alguns benefícios que a lei trabalhista prevê (como décimo-terceiro proporcional). Além disso, ela crê que a funcionária dona da marmita foi convencida pelos seus chefes a registrar boletim de ocorrência contra ela pelo furto.

"Não assinei nada e tenho como provar com imagens da câmera do escritório que me apresentaram este documento. Estou falando com meu advogado para ver que providências vamos tomar".

Em nota enviada ao UOL, a Infobeleza nega as acusações de Vitória. Segundo a empresa, câmeras de segurança foram instaladas no local porque funcionários já vinham reclamando do sumiço de marmitas e de outros bens, como dinheiro - a ex-funcionária comeu a refeição da colega exatamente no horário em que estes furtos vinham acontecendo, à noite. A empresa também nega ter influenciado no registro do boletim de ocorrência, decisão tomada exclusivamente "pela funcionária que se sentiu prejudicada".

A Infobeleza ainda nega que tenha induzido Vitória a pedir demissão e que "em nenhum momento quis expor a funcionária e nem prejudicá-la" (ela acabou demitida sem justa causa e receberá os direitos correspondentes). Segundo a empresa, embora a vendedora mostre em suas declarações que não está inclinada a fazer um acordo, a homologação de sua demissão está marcada para esta quinta-feira.

"A Infobeleza lamenta muito o acontecido e está fazendo o possível para resolver o caso seguindo as leis trabalhistas, como vem fazendo desde o início. A Infobeleza é uma empresa séria e que sempre respeitou seus funcionários. Até hoje, não possuía registros de reclamações de seus colaboradores", conclui a nota.

O caso acabou registrado na Delegacia de Atibaia como furto de alimento perecível. A Polícia Civil vai colher os depoimentos das partes envolvidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos