Violência no Rio

Casal tenta se recompor após grávida atropelada em assalto perder o bebê

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

  • Arquivo Pessoal

    Eduardo e Flávia esperavam o primeiro filho do casal

    Eduardo e Flávia esperavam o primeiro filho do casal

A empresária, Flávia Ahrends, de 40 anos, que sofreu um aborto ao ser atropelada durante um assalto na última sexta-feira (7), em Higienópolis, zona norte do Rio, deixou o hospital na noite desta segunda (10), após realizar um procedimento para retirar o bebê. O marido dela, Eduardo Baptista, disse que o casal vai planejar uma nova gestação daqui a dois meses.

Flávia estava grávida de 12 semanas. O casal já sabia que era um menino devido à realização de um exame que permite a descoberta do sexo do bebê antes do quarto mês de gestação. Eduardo, que também foi ferido com uma faca durante a abordagem dos criminosos, contou ao UOL que o casal gastou R$ 300 no exame para poder planejar com calma o enxoval do filho.

"Nós fizemos o exame para poder amenizar a curiosidade, a ansiedade e poder pensar no quarto do bebê. Já tínhamos comprado algumas roupas, o quartinho do Arthur estava em obra. Já tínhamos até escolhido os móveis. Íamos comprar o berço daqui a um mês. Só precisava terminar a obra para comprar tudo, mas infelizmente não deu", lamentou Eduardo.

Arthur seria o primeiro filho do casal. Eduardo já é pai de um menino de 10 anos e Flávia tem um de 14. Os dois estão juntos há dois anos, e a gravidez foi uma surpresa para eles.

"Ficamos muito felizes e adotamos todos os cuidados necessários por conta da idade da Flávia. Ela tem 40 anos e diabetes controlada. Fomos a nutricionista, a endocrinologista, tivemos todos os cuidados para evitar qualquer problema durante a gestação", contou o marido.

Problemas para dormir

Flávia foi internada nesta segunda-feira (10) para a realização de um procedimento para retirar o bebê. De acordo com o marido, ela ainda sente dores e tem sangramento.

Eduardo, que foi esfaqueado na mão, durante o assalto, disse que está com problemas para dormir e que vai buscar apoio psicológico para o filho que estava com o casal no momento da abordagem e presenciou as cenas de violência.

"Eu não consigo dormir direito mais. Toda hora acordo lembrando do que ocorreu. Foi uma covardia. Meu filho não quer mais dormir no quarto dele. Quer ficar na cama com a gente. Tá todo mundo ainda muito abalado", contou.

Grávida é atropelada por criminosos e perde o bebê

Câmera mostra ação dos bandidos

Uma câmera de segurança na região mostra o casal e uma criança caminhando tranquilamente por uma rua sem movimento na região até um carro se aproximar e atropelar a família. Flávia caiu no chão. Eduardo e a criança conseguiram se afastar. Neste momento, um dos criminosos desce do carro e dá uma facada no marido dela. A criança corre e não se fere na ação.

A família foi abordada na Rua Fernando Valdez, quando voltava de uma festa junina. Eles tinham o hábito de estacionar o carro naquele local, mas Eduardo conta que nunca havia sido assaltado na região.

O bairro de Higienópolis, na zona norte da capital Fluminense, registrou nos cinco primeiros meses do ano, 2.242 ocorrências de roubo, segundo dados do Instituto de Segurança Pública. Somente no mês de maio, foram contabilizados 544 registros. O maior número de ocorrências ocorreu no mês de março – 595 casos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos