Modelo fica com queimaduras após bronzeamento e culpa produtos; esteticista nega

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL

  • Arquivo Pessoal

    Caso em Jaboticabal (SP) está sendo investigado pela polícia civil

    Caso em Jaboticabal (SP) está sendo investigado pela polícia civil

Uma modelo sofreu queimaduras de segundo e terceiro grau depois de fazer bronzeamento em Jaboticabal, no interior de São Paulo, na semana passada. Aline Borges, 28, acusa Joice Radaelli de usar produtos irregulares. A esteticista nega.

Aline procurou pelo procedimento na tarde de 7 de outubro, um domingo. "Eu ia fazer um catálogo, então fui fazer o bronzeamento para ficar com marquinha de biquíni, que deixa o corpo mais sexy", conta a modelo ao UOL.

No dia seguinte, Aline diz que começou a sentir dores no corpo. "Mas fui piorando dia após dia, até que fui à UPA [Unidade de Pronto Atendimento] aqui de Jaboticabal na sexta [13]", afirma a modelo.

Arquivo Pessoal

De acordo com o laudo médico, Aline tem queimaduras de segundo e terceiro grau, além de emedas pelo corpo e infecção urinária. Ela reclama ainda de muito inchaço. "Mal estou conseguindo falar porque minha boca está inchada, dói muito", afirma a jovem.

A modelo conta que já havia ido ao local de bronzeamento, na periferia de Jaboticabal. Ela diz ter pago R$ 40 por uma sessão de duas horas. "Eu ia lá porque ela era boa de fazer as marquinhas. Além disso, já tinha dado entrevista falando que fazia os próprios produtos e que tudo era autorizado pela Anvisa", afirma Aline. "O local é sujo, mas eu levava todos os produtos de higiene pessoal. O que me queimou foram os produtos."

De acordo com a esteticista, o problema não foram os produtos, mas o tempo que a modelo ficou ao sol. "Conheço a Aline há oito anos, ela já fez bronze comigo muitas vezes. Ela é aquele tipo de cliente teimosa", afirma Joice, em entrevista ao UOL. "O tempo certo no sol é de 40 a 50 minutos, aí eu aviso para as clientes saírem. Mas ela não sai, fica mais 20 minutos."

Joice nega que fabrique o material usado. "São produtos comprados, tenho todas as notas", afirma a esteticista. "Tem um procedimento que é feito na hora, mas os produtos são todos expostos para as clientes verem."

O caso foi para as redes sociais, onde a modelo acusa a esteticista de a ameaçar e a difamar. "Ela coloca fotos minhas de modelo e diz que sou garota de programa", afirma Aline. "Até ontem eu estava na UPA tomando remédio. O que ela acha que é estado grave? É ficar na UTI? Queria deixar bem claro que, se acontecer alguma coisa comigo, foi ela."

A esteticista rebate. "Ela é uma mentirosa. Eu não a ameacei, muito pelo contrário. Todos os dias que ela foi à UPA, eu fui junto prestar apoio, dava água para ela", afirma Joice. "Aqui na cidade, 99% das pessoas estão me apoiando, elas sabem como funciona. A Aline quer aparecer, e conseguiu."

Joice teve seu negócio lacrado na tarde da última terça-feira (16). De acordo com a esteticista, não foi um problema com o local, mas com o registro do endereço. "Hoje mesmo vou à Vigilância Sanitária para resolver, devo voltar a trabalhar em 10 dias", afirma.

O UOL procurou a Vigilância Sanitária de Jaboticabal, mas não conseguiu um posicionamento até o fechamento da matéria. A polícia civil da cidade diz que está investigando o caso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos