PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Após apagão, Estados do Nordeste enfrentam falta de água

Mercadinho no Recife funcionou à luz de vela nesta quarta-feira (21) - Guga Matos/Estadão Conteúdo
Mercadinho no Recife funcionou à luz de vela nesta quarta-feira (21) Imagem: Guga Matos/Estadão Conteúdo

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió (AL)

22/03/2018 15h22

Os transtornos causados pelo apagão registrado em parte do país ontem persistem nesta quinta-feira (22). Todos os nove Estados da região Nordeste amanheceram com municípios sem água nas torneiras, apesar do restabelecimento do fornecimento de energia elétrica.

Sem energia, as estações de tratamento de água deixaram de bombear a água que abastece a população. As companhias de saneamento deram prazo de até 72 horas para regularização dos sistemas.

O tempo é necessário para reverter a falta de pressão da água nas tubulações. Segundo as companhias, isso está acontecendo de maneira gradativa.

Bahia

Na Bahia, a capital Salvador e outras seis cidades da região metropolitana enfrentam problemas de falta de água nesta quinta-feira.

A Embasa (Empresa Baiana de Águas e Saneamento) informou que 24 bairros de Salvador e dos municípios de Camaçari, Dias D'Ávila, Madre de Deus, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé e Simões Filho estão desabastecidos.

Segundo a Embasa, por volta de 2h desta quinta-feira, os sistemas de abastecimento retornaram a capacidade operacional total, mas a distribuição plena deve ocorrer até 72 horas.

Ceará

Fortaleza e os municípios de Caucaia, Maracanaú, Eusébio e Itaitinga estão sem água depois do apagão. A Cagece (Companhia de Água e Esgoto do Ceará) informou que a falta de energia elétrica prejudicou o funcionamento das ETAs (Estações de Tratamento de Água) Gavião e Oeste, que são responsáveis pelo abastecimento do sistema integrado da capital e região metropolitana.

Apesar do retorno dos sistemas, após o restabelecimento da energia elétrica, estão afetados a distribuição da água e despressurização das redes porque a paralisação causou baixa pressão da água e, por consequência, seu desabastecimento.

Alagoas

A Casal (Companhia de Saneamento de Alagoas) informou que todos os sistemas de abastecimento de água ficaram paralisados devido à falta de energia elétrica. Em Maceió, o fornecimento de água será normalizado em até 48 horas e no interior do Estado o prazo é de 72 horas.

Pernambuco

A Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento) informou que todos os sistemas de abastecimento de água em Pernambuco operados pela companhia foram afetados com a falta de energia elétrica ocorrida.

Segundo a Compesa, logo após o retorno gradativo da energia elétrica, as estações de captação e tratamento de água começaram a operar e, nesta quinta-feira, apenas o município de Tabira está sem água. A energia voltou, mas ocorreu um rompimento na tubulação. A previsão é que o sistema volte a funcionar nesta tarde.

Paraíba

Sem energia nos 223 municípios da Paraíba, a Cagepa (Companhia de Água e Esgotos da Paraíba) informou que as estações de tratamento de água não funcionaram durante o apagão e, por isso, houve o comprometimento do abastecimento. A empresa prevê que até a noite de hoje deve chegar água nas torneiras da população desses municípios.

Segundo a Cagepa, o sistema será restabelecido em sua totalidade quando os reservatórios de tratamento de água estiverem cheios, depois que as estações de captação carregarem água pelas adutoras.

Rio Grande do Norte

O blecaute no sistema elétrico também afetou a distribuição de água no Rio Grande do Norte e fornecimento de água será normalizado em até 48 horas, segundo a Caern (Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte).

A companhia informou que a falta de eletricidade parou o funcionamento de todos os seus sistemas de abastecimento de água, já os sistemas de esgotamento tiveram o funcionamento assegurado por geradores.

Durante o apagão, a captação de água, seja de poços ou lagoas, bem como, o inviabilizou funcionamento das estações de tratamento de água e sua distribuição. "Com a parada, o fornecimento de água fica completamente comprometido no RN. A regularização da distribuição pode levar de 24h até 48h. Diferente do sistema elétrico, a distribuição de água não ocorre de maneira uniforme, dependendo de energia elétrica para a pressurização da rede, por exemplo", declarou a Caern.

Piauí

O blecaute causou desabastecimento de água em Teresina (PI). Até o meio-dia desta quinta-feira, 20% dos bairros da capital continuavam sem água, segundo a Agespisa (Águas de Teresina).

A empresa informou que a falta de energia não afetou o abastecimento de água nas cidades do interior do Estado e que às 20h de ontem, a distribuição em Teresina foi iniciada gradativamente. O sistema na capital será restabelecido totalmente em 24h.

Maranhão

No Maranhão, continuam com problemas de falta de água as cidades de São José de Ribamar e Paço do Lumiar, localizadas na região metropolitana de São Luís. Segundo a BRK Ambiental, responsável pelos sistemas de fornecimento de água nas duas cidades, o prazo para restabelecimento do abastecimento é de 72 horas.

Sergipe

O UOL não conseguiu contato com a Deso (Companhia de Saneamento de Sergipe). Entretanto, em nota, a companhia informou que reparos na rede que seriam realizados hoje foram suspensos por tempo indeterminado.

Cotidiano