PUBLICIDADE
Topo

Estátua de 400 kg é furtada de monumento no Rio de Janeiro

17.fev.2020 - Estátua é furtada de monumento em homenagem a Marechal Deodoro no Rio de Janeiro - Reprodução/Internet
17.fev.2020 - Estátua é furtada de monumento em homenagem a Marechal Deodoro no Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/Internet

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

17/02/2020 10h12Atualizada em 17/02/2020 10h37

Uma estátua de 400 kg e dois metros de altura foi furtada de um monumento em homenagem a Marechal Deodoro, localizado próximo à Praça Paris - ponto histórico do Rio de Janeiro, no bairro da Glória, na zona Sul da cidade. Segundo a Gerência de Monumentos e Chafarizes do Rio, vinculada à Secretaria de Conservação, a escultura representa a mãe do primeiro presidente do Brasil, D. Rosa Paulina da Fonseca.

O alerta sobre o desaparecimento da escultura foi dado na noite de sábado (15) pela arquiteta e pesquisadora Vera Dias, chefe da Gerência de Monumentos e Chafarizes, vinculada à Subsecretaria municipal de Conservação: "Procura-se!!! Estatua da Mãe do Marechal Deodoro, foi furtada do monumento em sua homenagem, próximo da Praça Paris. Pesa cerca de 400 kg em bronze, tem quase 2 metros de altura. Não pode estar passeando por aí! Divulguem a foto. Se souberem de algo, deixem sua mensagem aqui ou liguem para 1746", divulgou a pesquisadora nas redes sociais.

A divulgação tem como objetivo a tentativa de impedir a compra do monumento por ferros-velhos. A publicação conta com mais de 2.000 compartilhamentos até o momento. Ainda não há informações sobre o paradeiro da estátua.

A Gerência de Monumentos e Chafarizes, vinculada à Conservação, informou ao UOL que fará hoje um boletim de ocorrência, na Delegacia do Centro, para que a polícia investigue o furto da estátua.

Atualmente, a pasta é responsável por 1.371 monumentos (bustos, esculturas, estátuas, relógios e chafarizes) e o órgão mantém contrato para manutenção das peças no valor de R$ 900 mil que inclui limpeza, conserto hidráulico, elétrico e reposição de pequenas peças, além de pequenos reparos.

No caso de vandalismo ou furto de grandes peças é necessário fazer um levantamento orçamentário, para abrir uma licitação para que seja feita a restauração e reposição, informou a pasta.

Cotidiano