PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês
Doria se posiciona sobre protestos, e Covas afirma: 'Racistas não passarão'

03/06/2020 14h15

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB), se posicionaram hoje contra a discriminação racial e falaram sobre as manifestações antirracistas que tomaram os Estados Unidos e parte da Europa nos últimos dias.

Em um breve discurso feito hoje no Palácio dos Bandeirantes, Covas disse que a cidade de São Paulo tem 40% de pretos e pardos e afirmou que sobre eles pesam fatores socioeconômicos desproporcionais. O prefeito ainda disse que "racistas não passarão".

"Jamais me senti discriminado. Jamais passei pelo constrangimento de falar para meu filho que ele poderia ser discriminado pela cor da sua pele. Mas reconhecer que o racismo existe, que está espalhado pela sociedade é fundamental. Não podemos mudar a história, mas podemos mudar nossa visão sobre ela e construir um novo amanhã. Racistas não passarão", afirmou o prefeito.

João Doria também se posicionou sobre o tema e afirmou que São Paulo não tolera discriminação.

"Temos respeito por todas as pessoas independentemente de credo, sexo, cor, idade e origem. Neste momento, Bruno Covas e eu dirigimos nossa solidariedade à comunidade negra e à judaica pelas discriminações que vêm sofrendo no Brasil e no exterior. São Paulo, seja capital ou estado, é um espelho de uma região que abriga imigrantes de várias origens ao longo de tantas décadas.

Todos ajudaram a formar São Paulo e a construir uma comunidade pacífica e harmoniosa. Por isso, o sentimento de solidariedade àqueles que no Brasil e nos Estados Unidos sofrem com a discriminação. São Paulo não discrimina e não tolera discriminação", afirmou o governador.

Cotidiano