PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Desabamento em Paraisópolis: prefeito reafirma promessa de 1.500 moradias

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

17/10/2021 13h34

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), voltou a prometer hoje a entrega de moradia para as 1.500 famílias que moram irregularmente sobre um córrego na comunidade de Paraisópolis, zona sul da cidade. Ontem, um sobrado de quatro andares desabou na região, matando um homem de 55 anos.

De acordo com a prefeitura, o plano de urbanizar a região e fornecer as casas é antigo e foi retomado em abril. Ao reunir-se com lideranças comunitárias na manhã de hoje, Nunes voltou a propor o pagamento de um auxílio-aluguel de R$ 400 às 1.500 famílias sob risco para só depois fornecer as novas residências.

Ninguém mora em cima do córrego porque quer, mas a gente precisa trabalhar isso junto. [Os moradores] saindo [das casas sob risco], vamos dar auxiílio-moradia e vamos fazer o fornecimento de moradia para as 1.500 famílias."
Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo

A promessa, no entanto, encontrou resistência entre os moradores, segundo o prefeito. Eles se recusariam a deixar suas casas em razão do baixo valor do auxílio financeiro, válido por até dois anos.

"A gente precisa que as famílias saiam das residências para fazer a demolição e reurbanização", diz o prefeito, que afirma ter começado em abril a obra no Córrego Antonico.

"A prefeitura não tira as pessoas à força. Faz o convencimento, paga aluguel de R$ 400 para ajudar (...) e depois entrar na fila para fornecer a moradia."

ricardo nunes - Divulgação - Divulgação
Prefeito Ricardo Nunes conversa com a imprensa após encontro com líderes comunitários de Paraisópolis
Imagem: Divulgação

"O risco é muito grande, houve morte, e a gente depende que as pessoas tenham essa compreensão", afirmou Nunes, que promete negociar com as famílias um aumento no valor do auxílio.

"Eles [moradores] fazem uma solicitação para que melhore esse valor. Vamos tentar construir uma dinâmica para melhorar isso. É importante resolver. São 1.500 famlias sobre o córrego", disse.

Sobre a demora para urbanizar a região, Nunes culpou o governo federal, que, segundo ele, nunca liberou "um centavo de recursos do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento]".

"Esse projeto é de 2013 (...) retomou em abril", diz. "É um trabalho social de recadastramento, engenharia para fazer as obras e retirar as pessoas do local."

Ainda de acordo com o prefeito, 23 mil famílias recebem o auxílio-aluguel da cidade de São Paulo.

Um morto e quatro resgates

Momento do resgate - Reprodução/Corpo de Bombeiros - Reprodução/Corpo de Bombeiros
Corpo de Bombeiros durante resgate em Paraisópolis
Imagem: Reprodução/Corpo de Bombeiros
Quando o sobrado de quatro andares desabou, um homem de 55 anos morreu e quatro pessoas foram resgatadas com vida.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, entre os feridos estavam duas crianças, que não tiveram o estado de saúde divulgado, um homem de 48 anos que fraturou a perna e um homem de 49 anos que teve escoriações no corpo. Eles foram levados ao pronto-socorro do Campo Limpo.

Ainda segundo os bombeiros, as crianças foram socorridas pela população da comunidade antes mesmo da chegada do socorro.

Mais de 50 bombeiros, em 14 viaturas e com o auxílio de um cão trabalharam na ocorrência. O SAMU (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), a Polícia Militar e a Defesa Civil também atuaram no local.

Tradutor: Prefeito promete moradia a 1.500 famílias ao encontrar

Cotidiano