PUBLICIDADE
Topo

Universitária dos EUA carrega colchão onde foi estuprada como protesto

Emma Sulkowicz, 21, ao lado do colchão onde foi estuprada - Reprodução/Youtube
Emma Sulkowicz, 21, ao lado do colchão onde foi estuprada Imagem: Reprodução/Youtube

Do UOL, em São Paulo

03/09/2014 12h17

Emma Sulkowicz, 21, estudante de artes da Universidade de Columbia, em Nova York, foi estuprada por outro aluno dentro do seu dormitório em agosto de 2012. Inconformada com a postura da faculdade, que inocentou o agressor por 'falta de provas', a jovem resolveu carregar para todos os lados o colchão onde o crime ocorreu.

“Fui estuprada na minha cama, no dormitório da faculdade. Sinto que carrego o peso do que aconteceu comigo para todos os lugares”, disse em entrevista ao jornal Columbia Spectator.

Além de servir como forma de protesto contra a reitoria e a presença do agressor no campus, o ato também vai fazer parte do trabalho de conclusão de curso da jovem. “O colchão simboliza o quarto, um lugar da nossa intimidade onde deveríamos estar protegidos”, afirmou. “Também vou pintar na parede do meu quarto regras básicas de convivência e sexo consentido. Será uma instalação”, disse.

Emma prestou queixa na polícia contra o estudante que a estuprou, encorajada por duas outras jovens que também teriam sido vítimas do mesmo homem.

A universidade de Columbia sofre com o aumento de casos de abuso sexual entre os estudantes. Para protestar contra esse cenário, listas com o nome de estupradores foram coladas nas paredes dos banheiros e nos muros da faculdade.

Internacional