PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
10 meses

Papa convidou transexuais para se vacinarem contra covid no Vaticano

Um dia antes da Páscoa, um grupo de transexuais recebeu a primeira dose da vacina contra covid-19 no Vaticano. - AFP Photo/Vatican Media
Um dia antes da Páscoa, um grupo de transexuais recebeu a primeira dose da vacina contra covid-19 no Vaticano. Imagem: AFP Photo/Vatican Media

Colaboração para o UOL

02/07/2021 20h06

Um dia antes da Páscoa deste ano, um grupo de pessoas transexuais foi convidado pelo papa Francisco ao Vaticano para serem vacinadas contra a covid-19. A informação só se tornou pública hoje e foi confirmada pelo "esmoleiro" apostólico, responsável pelas obras de caridade do Pontífice, cardeal Konrad Krajewski.

Krajewski afirmou que, no dia 03 de abril, véspera da Páscoa, cerca de 50 pessoas chegaram ao Vaticano vindas de uma paróquia em Torvaianica, região metropolitana de Roma, onde o reverendo Andrea Conocchia tem realizado, por muitos anos, seu ministério junto a uma comunidade de pessoas transgêneros.

Em 24 de abril, o grupo voltou para receber a segunda dose do imunizante da Pfizer/BioNTech.

Em entrevista ao Religion News Service, o ativista chileno Juan Carlos Cruz, um sobrevivente de abuso sexual por padre e membro da Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores, contou que quando os dois ônibus de Torvaianica chegaram, dizendo que haviam sido convidados para serem vacinados, as autoridades do Vaticano foram pedir orientação ao papa.

A resposta de Francisco, segundo Cruz, foi "sim, absolutamente! Vacine-os!". Segundo Juan Carlos, o papa teve a sensibilidade de dizer aos funcionários vaticanos "para perguntarem seus nomes, perguntarem do que eles precisavam, mas que não perguntassem sobre seu sexo".

O grupo foi levado ao auditório da Sala Paulo VI, no Vaticano, onde recebeu a primeira dose da vacina.

Vacinação contra a covid

Segundo dados oficiais divulgados pelo sistema de saúde da região do Lazio, em Roma, a Cidade do Vaticano administrou mais de 21 mil doses de vacinas contra o coronavírus desde janeiro, como parte de seu programa de imunização.

Toda a população do Vaticano, cerca de 800 pessoas, incluindo o próprio papa Francisco e o papa emérito Bento 16, já foi vacinada.

Entre abril e maio deste ano, por iniciativa da Esmolaria Apostólica do Vaticano, a campanha de vacinação do menor país do mundo também vacinou 1.400 pessoas em condições de rua e vulnerabilidade da cidade de Roma.

Apoio à comunidade trans

O papa Francisco já havia ajudado a comunidade transexual de Torvaianica antes.

Em maio do ano passado, no auge da pandemia de covid-19, o Pontífice atendeu ao pedido de auxílio do grupo de mulheres transexuais formado majoritariamente por brasileiras e latino-americanas, por intermédio do pároco de Torvaianica, dom Andrea Conocchia.

A mensagem ao papa foi entregue através do cardeal Krajewski, o "esmoleiro" pontifício. Alguns dias depois, o grupo recebeu uma carta do próprio Francisco, dizendo que havia ficado sensibilizado com a situação.

Junto com a carta, veio uma ajuda financeira do departamento da Cúria Romana responsável pelas ações beneficentes.

Em dezembro do mesmo ano, equipes de saúde da Caridade Apostólica, enviadas pelo papa Francisco, aplicaram vacinas contra gripe e fizeram testes de covid-19 no pátio da paróquia, atendendo, em sua maioria, pessoas em condição de rua ou transexuais que se prostituem na orla marítima da região.

Internacional