PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
7 meses

Pastor antivacina é preso após encontro com filho de Trump

O pastor Artur Pawlowski estava voltando para o Canadá após encontro com extremistas e o filho de Trump nos EUA - Reprodução/Twitter
O pastor Artur Pawlowski estava voltando para o Canadá após encontro com extremistas e o filho de Trump nos EUA Imagem: Reprodução/Twitter

Colaboração para o UOL, em Santos

30/09/2021 12h10Atualizada em 30/09/2021 12h10

O pastor Artur Pawlowski, que ficou famoso por suas declarações negacionistas em relação à pandemia, foi preso quando voltava em um voo fretado para Calgary, no Canadá, após uma turnê de um mês de palestras antivacina nos EUA, onde se encontrou com ativistas de mídia social de extrema-direita e o filho de Donald Trump, Eric.

Na tarde de segunda-feira (27), oficiais da CBSA (Agência de Serviços de Fronteiras do Canadá) efetuaram a prisão. Ele é acusado de desobedecer a uma ordem judicial e não usar máscara, o que representa uma multa de US$ 50,00 (R$ 272,00) de acordo com a lei local. Os crimes datam de março e junho deste ano, segundo a polícia de Calgary.

A advogada de Pawlowski, Sarah Miller, chamou o momento de "ilógico", visto que as datas da suposta violação e a cobrança de multa ocorreram antes de seu cliente partir para os EUA.

Um vídeo que circula no Twitter mostra Pawlowski sendo preso na pista do aeroporto de Calgary na tarde de segunda. Cerca de sete horas depois, a advogada garantiu a libertação de seu cliente com a condição de que ele mantivesse a paz e se comportasse bem.

Pawlowski e seu irmão, Dawid Pawlowski, que está concorrendo a uma vaga no conselho municipal no Distrito 11, já estavam enfrentando potenciais sentenças de prisão, após serem condenados por desacato por repetidamente desrespeitar as medidas de saúde pública de combate à covid-19 e encorajar outros a fazerem o mesmo.

Eles serão sentenciados em 13 de outubro, mesma data em que as novas acusações estão nos tribunais.

AHS pede prisão

Os advogados do AHS (Serviços de Saúde de Alberta) pediram ao juiz do Tribunal da Rainha, Adam Germain, que sentenciasse Artur Pawlowski a três semanas de prisão e que fosse multado em US$ 2.000 (R$ 10,8 mil) e mais US$ 15.000 (R$ 81,6 mil) referentes a custos judiciais. Eles também querem 10 dias de detenção para Dawid Pawlowski.

Sarah Miller, que representa os dois irmãos, pediu que seus clientes não ficassem na prisão.

Durante a pandemia, os irmãos Pawlowski repetidamente promoveram aglomerações de pessoas sem máscara durante os cultos em Calgary e também negaram a entrada de funcionários de saúde na igreja, localizada no bairro sudeste de Dover.

Os inspetores da AHS que tentaram entrar na igreja foram recebidos com linguagem abusiva.

As prisões ocorreram em maio, depois que ordens judiciais foram concedidas permitindo que a AHS e a polícia acusassem qualquer pessoa que anunciasse reuniões que violassem as restrições de saúde.

Em 2020, Artur Pawlowski também foi multado por não cumprir as restrições da covid-19.

Internacional