Exclusivo para assinantes UOL

Opinião: Contra a Rússia, a Europa se rearma

  • Vasily Maximov/AFP

    Motorista passa por prédio destruído por bombardeio em Donetsk, no leste da Ucrânia

    Motorista passa por prédio destruído por bombardeio em Donetsk, no leste da Ucrânia

Os militares da Europa Ocidental devem algo a Vladimir Putin: o presidente russo deu um basta ao corte contínuo dos gastos militares no Velho Continente. Os acontecimentos na Ucrânia, como a intervenção do Exército russo na Crimeia e no Donbass, anunciaram o fim de um desarmamento europeu contínuo que vinha ocorrendo há quase 20 anos, e era ainda mais estranho pelo fato de que os “outros”, desde a Rússia até o Oriente Médio, passando pela China e pelos Estados Unidos, vinham se rearmando continuamente.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos