AP

11 de Setembro

Local de consolo após 11 de Setembro enfrenta futuro incerto

Sharon Otterman

Em Nova York (EUA)

  • Chang W. Lee/The New York Times

    O reverendo John Brobbey na capela São José, do lado oposto a onde ficavam as Torres Gêmeas, em Nova York

    O reverendo John Brobbey na capela São José, do lado oposto a onde ficavam as Torres Gêmeas, em Nova York

Em meio à fumaça e mau cheiro que se seguiram aos ataques de 11 de setembro de 2001, as equipes de emergência arrancaram os bancos de uma pequena capela católica romana em frente à área do World Trade Center, em Battery Park City em Manhattan, e usaram a igreja como posto de comando. Com o passar das semanas, o padre ergueu uma tenda do lado de fora para celebrar a missa. O interior passou a ser usado pelos trabalhadores no ponto zero como local para alimentação, descanso e orientação.

Quando os moradores de Battery Park City começaram a voltar para casa três meses depois, eles estavam determinados a restaurar a capela de São José. Assim, a paróquia realizou uma campanha nacional de arrecadação de fundos. Ela encomendou obras de arte sacra para o espaço, para amplificar o tema do renascimento da morte. A capela foi reconstruída tanto como espaço para oração quanto como um memorial católico para os horrores e heroísmo do 11 de setembro de 2001.

Em 2005, o cardeal Edward M. Egan oficiou a rededicação. Em um local que por muito tempo pareceu uma zona de guerra, era um sinal de que vida voltava a florescer.

Agora a própria capela está à beira da destruição.

Em consequência da recuperação do bairro, que a capela ajudou a promover, o aluguel da São José mais que triplicou em 2014, para US$ 264 mil (cerca de R$ 821 mil) por ano. De lá para cá, a paróquia tem tomado dinheiro emprestado da Arquidiocese de Nova York para cobrir o custo, mas o novo padre da paróquia e seu Conselho Financeiro decidiram que a dívida é insustentável.

A arquidiocese está em negociações para redução do aluguel com a LeFrak, a gigante imobiliária familiar, que juntamente com as famílias Fisher e Olnick é proprietária do Gateway, o empreendimento residencial onde se encontra a capela. Segundo os paroquianos, há uma oferta para redução do aluguel de US$ 80 para US$ 70 por pé quadrado, ou para cerca de US$ 230 mil por ano, mas que esse valor ainda é alto demais para a paróquia.

Os paroquianos dizem que o padre, o reverendo Jarlath Quinn, os informou que a capela fechará em junho a menos que ocorra um milagre. Eles esperam ouvir do senhorio nesta semana sobre uma possível maior redução do aluguel.

A luta para salvar a capela é liderada por um grupo pequeno, composto principalmente de mulheres, de paroquianos de Battery Park City, cuja maioria vivenciou os ataques e preza a capela como um elo vivo com o 11 de Setembro. O grupo tem tentado chamar a atenção da população a respeito do fechamento e promover arrecadação de fundos.

O que o grupo diz que o confunde é que seu próprio padre tem reduzido o papel da capela na paróquia, em vez de apoiar seus esforços.

Para economizar dinheiro, a Capela de São José fica fechada durante grande parte dos dias úteis e aos sábados, quando turistas com frequência querem visitá-la. Seu antigo programa de catecismo para crianças foi transferido para quase um quilômetro de distância, para a principal igreja da paróquia, São Pedro, ao norte da área do World Trade Center.

São José é a única casa de oração em Battery Park City, um bairro com cerca de 13 mil moradores a oeste da área do World Trade Center. Antes um bairro principalmente de classe média, ele agora é local de apartamentos e shopping centers de luxo.

"O mundo acabou e todos disseram: 'Nunca esqueçam'", disse Amy McCarthy Koethe, 52 anos, uma paroquiana cujas lembranças dos ataques são tão vívidas que ela ainda chora quando reconta. "Nós estamos basicamente fazendo as pessoas esquecerem, porque estamos removendo de Battery Park City qualquer lembrete dos ataques."

Ela acrescentou: "Estamos lutando para mantê-la aberta, mas também não sabemos ao certo quais são as intenções da arquidiocese e de nosso atual padre, o que torna tudo muito desalentador".

Certa opacidade cerca a situação da igreja. A arquidiocese diz que a decisão de fechar a capela cabe à paróquia e que não ameaçou cortar os empréstimos para pagamento do aluguel.

"Eles estão tentando ser bons administradores não apenas do dinheiro da paróquia, mas também do dinheiro da arquidiocese", disse Joseph Zwilling, o porta-voz da arquidiocese, referindo-se aos líderes da paróquia.

O padre da São José, Quinn, encaminhou todas as perguntas sobre a capela para Zwilling.

Chang W. Lee/The New York Times


Desde a chegada de Quinn em julho, o site da paróquia tem postado seu balancete financeiro. Aluguel, impostos e multas para a Capela de São José no ano totalizaram US$ 369 mil, ele declara, mas a paróquia arrecadou apenas US$ 164 mil.

A paróquia, que consiste das igrejas de São Pedro, São José e outra igreja no centro da cidade, Nossa Senhora do Rosário, tomou emprestado US$ 540 mil da Arquidiocese de Nova York no ano passado para pagamento de aluguel e outras despesas, segundo sua declaração financeira. As paróquias supostamente deveriam ser autossustentáveis e pagar um imposto anual de 8% sobre a coleta da arquidiocese.

"Os curadores e membros do Conselho Financeiro acreditam que esse déficit operacional significativo é insustentável e que as despesas da paróquia devem permanecer dentro da receita operacional", declara o balancete.

Os paroquianos disseram que Quinn lhes disse que isso significa que São José fechará em junho a menos que algo mude, apesar do contrato de locação se encerrar apenas em 2019.

A aparente decisão de parar de pegar dinheiro emprestado para o aluguel deixou perplexos tanto os paroquianos quanto o antigo padre da capela, o reverendo Kevin V. Madigan, que liderava a capela no 11 de Setembro e durante sua rededicação.

"Não é um caso de um cobrador de dívidas vir bater à sua porta", disse Madigan. "A arquidiocese não pressiona as paróquias para quitação de seus empréstimos."

A Capela de São José é um local discreto e de teto baixo, inserida no piso térreo de um complexo residencial atrás das altas torres de escritórios que margeiam a West Side Highway. Ela se mudou para a localização atual, a cerca de uma quadra e meia da área do World Trade Center, em 1983; a igreja original, que ficava ao lado das torres gêmeas, foi demolida para dar espaço a um prédio de escritórios que nunca foi construído. Três missas são realizadas a cada domingo. Durante a semana, trabalhadores a visitam na hora do almoço.

Devido ao espaço pequeno, é fácil ver todos que assistem as missas, criando um senso de comunidade, disse Madigan. "Basicamente, é difícil passar desapercebido ali", ele disse.

"Não é grande, como a Catedral de São Patrício", disse Kate Megna, 31 anos, que estava rezando antes da missa do meio-dia na igreja e um recente dia útil. "Você vem aqui pela fé e por Deus. É bastante puro."

O grupo de paroquianos que está lutando para que a capela permaneça aberta aponta para o esforço intensivo da Igreja Ortodoxa Grega, a duas quadras de distância, para reconstrução da Igreja de São Nicolau, que foi destruída no 11 de Setembro e logo será reaberta como templo nacional. Cerca de US$ 38 milhões foram arrecadados para o projeto, no extremo sul da área do World Trade Center.

Mas o possível fechamento da Capela de São José não foi alvo de um esforço de arrecadação de fundos por parte da arquidiocese, ou mesmo de uma declaração pública por parte do cardeal Timothy M. Dolan, o arcebispo.

"O cardeal tem confiança no padre e nas pessoas da paróquia de que farão o que for apropriado para o bem geral da paróquia", disse Zwilling.

Enquanto prosseguem as negociações, a organização LeFrak forneceu uma declaração: "Gateway forneceu de forma generosa e unilateral uma redução significativa no aluguel para a igreja, muito abaixo do valor pedido no contrato da igreja, como um gesto à comunidade de Battery Park City e aguarda a decisão por parte da igreja".

E a Autoridade de Battery Park City, o órgão público que os paroquianos esperam que intervirá, disse que só pode torcer pelo melhor.

"Apesar de não termos nenhum papel nas discussões entre a igreja e seu senhorio, a Capela de São José é um ícone do bairro, e esperamos que as partes possam chegar a um acordo que permita a permanência da igreja em seu atual endereço", ela disse em uma declaração.

Tradutor: George El Khouri Andolfato

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos