Exclusivo para assinantes UOL

Sobreviventes de massacre em Parkland recorrem a grupo no celular para se ajudarem

Audra D.S. Burch

Em Parkland, Flórida (EUA)

  • Sam Hodgson/The New York Times

    Estudantes trabalham no anuário da escola Marjory Stoneman Douglas, em Parkland

    Estudantes trabalham no anuário da escola Marjory Stoneman Douglas, em Parkland

Eles se recordam dos disparos ocorrendo em lampejos trovejantes. Eles cortavam o ar, como as bolas que se movem rapidamente em uma máquina de pinball. As balas atingiam o chão, o teto e os notebooks, cujas telas rachavam, piscavam e então ficavam em branco.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos