Topo

Prometendo evitar tiroteios, empresas monitoram posts de estudantes nas redes sociais

Hilary Swift/The New York Times
Polly Managan trabalha em sua mesa na Social Sentinel, em Burlington (EUA) Imagem: Hilary Swift/The New York Times
Exclusivo para assinantes UOL

Aaron Leibowitz

2018-09-07T00:01:00

07/09/2018 00h01

Poucas horas depois do tiroteio em uma escola de Parkland, na Flórida, empresas que vendem seus serviços para escolas começaram a se manifestar. “Sr. governador, pode se orgulhar do fato de que uma empresa de Vermont est&aacu...

Mais Jornais internacionais