Topo

Equipes que atuam no combate ao ebola são atacadas e ameaçadas no Congo

Profissionais carregam o corpo de uma menina de 11 anos que morreu de ebola depois de ter sido internada em um centro de tratamento em Beni, no Congo - Finbarr O
Profissionais carregam o corpo de uma menina de 11 anos que morreu de ebola depois de ter sido internada em um centro de tratamento em Beni, no Congo Imagem: Finbarr O'Reilly/The New York Times
Exclusivo para assinantes UOL

Joseph Goldstein e Finbarr O'Reilly

21/05/2019 00h01

Quando o ebola chegou a esta cidade, Janvier Muhindo Mandefu parou de plantar e começou a trabalhar enterrando os cadáveres altamente contagiosos das vítimas do ebola.

Mas Muhindo tem menos medo do ebola do que dos parentes enlutados que encontra...

Mais Jornais internacionais