Exclusivo para assinantes UOL

Opinião: Apesar do fim da política de filho único, chinesas não estão tendo mais bebês

Leta Hong Fincher*

  • Xinhua

No final de 2015, quando a China afrouxou sua política de décadas que só permitia um único filho por casal, alguns saudaram a mudança como sinal de uma transição para uma maior liberdade reprodutiva. Mas o governo só estava embarcando em mais um grande experimento em engenharia populacional: desta vez, ele estava incentivando as mulheres, mas só as do tipo certo, a procriarem para a China.

UOL Cursos Online

Todos os cursos