Deputados do PT têm celulares clonados e contatos recebem pedido de dinheiro e "outros favores"

Aiuri Rebello

Do UOL, em São Paulo

  • Marcus Leoni/Folhapress

    O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) foi um dos parlamentares que tiveram o telefone celular clonado

    O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) foi um dos parlamentares que tiveram o telefone celular clonado

Deputados federais do PT tiveram seus telefones celulares clonados -- mais especificamente o aplicativo de mensagens WhatsApp -- nos últimos dois dias. O responsável pela fraude usa o acesso às contas pessoais para pedir dinheiro e outros favores aos contatos salvos no aparelho em nome dos parlamentares. O caso está sendo investigado pela Polícia Legislativa, responsável pela segurança dos deputados e senadores.

Pelo menos dois deputados da legenda foram vítimas do golpe: Paulo Teixeira (PT-SP) e Adelmo Leão (PT-MG), mas há outros. Ainda não está claro se os alvos da clonagem são apenas parlamentares petistas ou se o golpe atinge políticos de outras legendas.

Em comunicado enviado aos deputados federais, o Departamento de Polícia Legislativa da Câmara alerta sobre "a ocorrência de tentativas de golpe envolvendo a clonagem de contas de WhatsApp pertencentes a parlamentares com o intuito de solicitar transferências de quantias em dinheiro ou outros favores".

Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, foi registrado oficialmente na Casa um caso de parlamentar clonado, mas que a polícia não descarta haver mais vítimas. De acordo com a Câmara, todos os parlamentares foram aconselhados a aumentar a segurança de seus aparelhos celulares, em especial do WhatsApp, para não serem vítimas da clonagem. Ainda não há informações sobre o responsável pelas clonagens.

"Hoje meu celular foi clonado e o fraudador está mandando mensagem para as pessoas, como se fosse eu, pedindo um depósito em conta bancária", afirmou nesta terça-feira (16) o deputado federal Paulo Teixeira. "Já estou tomando as providências cabíveis", diz ele. 

O deputado Adelmo Leão, por meio de sua assessoria de imprensa, diz que o telefone foi clonado ontem, mas apenas o aplicativo WhatsApp. Uma pessoa pediu a assessores que pagassem um boleto, e um dos auxiliares do parlamentar caiu no golpe. Quando outro assessor alertou em um grupo no aplicativo que o WhatsApp do chefe estava clonado, quem controlava a conta naquele momento mandou uma mensagem com risadas para o grupo. De acordo com a assessoria, é a segunda vez que isso acontece em pouco tempo. Na primeira ocasião, o perfil do deputado no Facebook foi invadido.

Como existem outros parlamentares da legenda vítimas do mesmo golpe e ele não perdeu o aparelho em nenhum momento, Leão afirma desconfiar de que não seja uma coincidência. O aparelho celular foi entregue para perícia na polícia legislativa.

Procurado pela reportagem para comentar a possibilidade de clonagem do aplicativo, por meio de sua assessoria de imprensa, o WhatsApp ainda não se manifestou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos