Comandante do Exército quase dobra número de seguidores no Twitter após fala polêmica

Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Joel Rosa/Em Tempo

    O general Eduardo Villas Bôas em entrevista à Folha de S.Paulo

    O general Eduardo Villas Bôas em entrevista à Folha de S.Paulo

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, viu quase duplicar seu número de seguidores no Twitter desde que publicou mensagens polêmicas na rede social na véspera do julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no STF (Supremo Tribunal Federal), que aconteceu no dia 4 de abril.

Villas Bôas tinha 110 mil seguidores no Twitter até 3 de abril. Nove dias após suas declarações, o número saltou para 212 mil, um aumento de 93%.

Os dados foram levantados a partir da plataforma CrowdTangle, que mede o volume de interações nas redes sociais, inclusive no Twitter.

A plataforma também mostra que o general ultrapassou seu recorde semanal de interações (retuítes e curtidas) na rede social. Na semana das declarações, os posts da conta de Villas Bôas no Twitter receberam mais de 186 mil interações. Desde fevereiro de 2017, quando criou seu perfil, o maior índice semanal do comandante havia sido de 28 mil retuítes e/ou curtidas.

No dia 3 de abril, um dia antes do julgamento de Lula, o general fez duas publicações no Twitter. Na primeira, questionou "quem realmente está pensando no bem do país". Em seguida, escreveu que o Exército "julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade" e que o mesmo "se mantém atento às suas missões institucionais", sem detalhar o que pretendia dizer com as afirmações.

As declarações repercutiram na imprensa já na noite em que foram publicadas, rendendo até respostas do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, que insinuou temer um novo golpe militar como em 1964, e do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que disse não haver "a menor possibilidade" de os militares assumirem o poder.

Outros generais surfaram na onda

As declarações de Villas Bôas provocaram reações de outros militares nas redes sociais. Alguns deles também conseguiram aumentar seus números de seguidores e interações no Twitter depois do episódio.

Ainda de acordo com o CrowdTangle, quem mais se destacou nas palavras de apoio ao comandante foi o general Paulo Chagas, que é da reserva e pré-candidato ao governo do Distrito Federal nas eleições de outubro deste ano.

"Tenho a espada ao lado, a sela equipada, o cavalo trabalhado e aguardo suas ordens!!"", escreveu o general. Este tuíte, publicado ainda no dia 3, rendeu a Chagas um salto de 6 mil seguidores para 27 mil, além de 179 mil interações na semana.

Já a declaração do general José Luiz Dias Freitas, Comandante Militar do Oeste e um dos membros do Alto Comando do Exército, teve impacto mais tímido, mas ainda assim lhe rendeu um aumento de mais de 100% no número de seguidores: de 5 mil, em fevereiro, para 12 mil. E as interações com seus tuítes, na semana em questão, chegou na casa das 21 mil.

Freitas saudou Villas Bôas dizendo que "mais uma vez o Comandante do Exército expressa as preocupações e anseios dos cidadãos brasileiros que vestem fardas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos