PUBLICIDADE
Topo

Crítico de "farra", Zema deu carona a filho em jatinho do governo de MG

Romeu Zema, governador de Minas Gerais - Cristiane Mattos / O Tempo
Romeu Zema, governador de Minas Gerais Imagem: Cristiane Mattos / O Tempo

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

08/10/2019 12h06

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), que durante a campanha eleitoral criticou o uso de aeronaves do estado pelos antecessores no cargo, deu carona para o filho Domênico Zema, 23, em jatinho do governo mineiro em agosto deste ano.

Segundo dados do portal da Transparência do governo estadual, no dia 9 de agosto, uma sexta-feira, Zema encerrou visitas a municípios do interior do estado, onde permaneceu em Araxá (MG), sua cidade natal. Na segunda-feira (12 de agosto), o governador tinha agenda em São Paulo e, na viagem à capital paulista, em jatinho do governo mineiro, com 12 assentos, deu carona para o filho, que estuda na cidade. Araxá está a 566 Km de São Paulo.

Segundo a assessoria de Zema, o governador "realizou pagamento ao estado referente a uma passagem para São Paulo, já que transportou o filho consigo". O valor do reembolso não foi informado.

Em janeiro de 2017, o ex-governador mineiro Fernando Pimentel (PT) usou helicóptero do governo de Minas Gerais para buscar o filho no balneário de Escarpas do Lago, em Capitólio (MG), município distante 281 Km de Belo Horizonte. Os voos oficiais do petista com familiares foram considerados irregulares pelo MPC (Ministério Público de Contas), que ajuizou uma representação no TCE (Tribunal de Contas do Estado) contra o petista, pedindo a devolução de R$ 66 mil aos cofres públicos.

Crítico ácido dos voos realizados por Pimentel, então candidato à reeleição, durante a campanha eleitoral no ano passado, chamando-os de "farra", Zema prometeu que não usaria os aviões do estado e utilizaria voos de carreira. "Nunca mais Minas vai ser o estado que vai ficar levando governador e seus familiares para compromissos particulares", disse, à época.

Em fevereiro, Zema anunciou a venda de uma aeronave do governo e voltou a criticar o uso dos jatinhos e helicópteros por familiares de governadores.

"Assumi o compromisso de reduzir drasticamente a força aérea que havia à disposição dos ex-governadores mineiros. Quero dizer para vocês que a farra dos aviões do estado está acabando. Em Minas, esse mau costume de governador usar avião do estado para proveito particular, para servir amigos e familiares, vai acabar", disse.

Mudança de opinião

O político do Novo não compareceu à posse do presidente Jair Bolsonaro (PSL), em janeiro, e justificou sua ausência pelo fato de não ter havido compatibilidade, entre o horário de sua posse no governo mineiro, e os horários dos voos comerciais, entre Belo Horizonte e Brasília no dia. Zema utilizou aeronaves oficiais em quatro viagens em janeiro. O número se manteve o mesmo em fevereiro: quatro viagens em aeronaves do estado.

Em março, porém, o número de voos cresceu para 13. Em abril, foram 12 deslocamentos. Com isso, Zema estava realizando média de uma viagem, a cada cinco dias. Ainda em abril, o político do Novo mudou de opinião.

"Chegou-se à conclusão de que o governador precisa locomover-se também em aeronaves do estado. Isso será feito prezando a economicidade e respeitando o dinheiro público. O governador precisa de agilidade para se locomover. Tendo em vista a extensão territorial do estado, com 853 municípios, e uma agenda de compromissos extensa, conforme as necessidades do estado, é imprescindível o uso das aeronaves oficiais", afirmou.

E maio foram 14 viagens, em junho (12) e em julho (8). Em agosto, último período disponível no portal Transparência do governo de Minas Gerais, foram 14 viagens, incluída a ida a São Paulo, quando deu carona ao filho. Uma média de uma viagem, a cada dois dias.

Custo de voos diminuiu, diz assessoria

A reportagem do UOL não localizou hoje a assessoria do ex-governador Fernando Pimentel, citado na matéria, para comentar o assunto.

Por meio de nota, a assessoria de Zema informou hoje que houve uma redução de 74% nos custos dos voos oficiais do governador e vice governador, na comparação entre janeiro e agosto de 2019, em relação ao mesmo período de 2018.

A assessoria ainda informa que o governador passava o fim de semana do Dia dos Pais em Araxá (MG), com a família, e iria a São Paulo, para agenda oficial, na segunda-feira (12 de agosto). Assim "o filho de Romeu Zema, que reside em São Paulo, estava em Araxá em virtude do Dia dos Pais. O governador realizou o deslocamento juntamente com o filho".

"Em cumprimento aos princípios que regem a administração de Romeu Zema, ele realizou pagamento ao estado referente a uma passagem para São Paulo, já que transportou o filho consigo. O pagamento foi efetivado no dia 12 de agosto, após cotação realizada anteriormente", diz a assessoria. O valor do reembolso pela carona, porém, não foi informado.

Política