PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Oposição apresentará pedido de impeachment contra Bolsonaro por caos no AM

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante visita técnica à Ceagesp, em São Paulo, em dezembro de 2020 - Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante visita técnica à Ceagesp, em São Paulo, em dezembro de 2020 Imagem: Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

15/01/2021 19h09Atualizada em 16/01/2021 09h19

Partidos de oposição ao governo federal divulgaram, na tarde de hoje, uma nota anunciando que apresentarão novo pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em função da crise sanitária vivida no Amazonas. O estado enfrenta aumento de casos e mortes por covid-19 e, recentemente, falta de oxigênio em hospitais.

O texto é assinado por representantes dos partidos Rede, PSB, PT, PCdoB e PDT.

Para as siglas, Bolsonaro deve ser responsabilizado por deixar o Amazonas sem oxigênio e por ser contrário às medidas de distanciamento social, uso de máscaras e "difundir desinformação".

"Considerando a prática de crimes de responsabilidade em série, que resultaram na dor asfixiante do Amazonas e de milhares de famílias brasileiras, nossos partidos - Rede, PSB, PT, PCdoB e PDT - decidiram apresentar novo pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. O presidente da República deve ser política e criminalmente responsabilizado por deixar sem oxigênio o Amazonas, por sabotar pesquisas e campanhas de vacinação, por desincentivar o uso de máscaras e incentivar o uso de medicamentos ineficazes, por difundir desinformação, além de violar o pacto constitucional entre União, Estados e Municípios", diz trecho da nota.

O texto pede reação do Congresso Nacional às ações do presidente e também pede que sejam adotadas ações para colaborar com o combate à pandemia de covid-19.

"O Brasil está morrendo sufocado por este presidente. Basta! Já passou da hora de o Congresso Nacional, representando a nação, reagir.
Defendemos, também, que o Congresso volte a funcionar imediatamente, para aprovar medidas que possam colaborar decisivamente para sanar os graves problemas que vitimam a população do Amazonas e de todo o Brasil", continua a nota.

Os signatários são:

  • Carlos Siqueira - Presidente do PSB
  • Gleisi Hoffman - Presidente do PT
  • Luciana Santos - Presidente do PCdoB
  • Carlos Lupi - Presidente do PDT
  • José Guimarães - Líder da minoria na Câmara;
  • Joenia Wapichana - Líder da Rede
  • Alessandro Molon - Líder do PSB
  • Enio Verri - Líder do PT
  • Perpétua Almeida - Líder do PCdoB
  • Wolney Queiroz - Líder do PDT
  • Carlos Zarattini - Líder da minoria no Congresso

STF dá 48h para governo apresentar plano de ação para AM

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal) deu 48 horas para que o governo federal apresente um plano detalhado das estratégias adotadas para lidar com a crise sanitária no Amazonas.

Lewandowski também determinou que o governo "promova, imediatamente, todas as ações ao seu alcance para debelar a seríssima crise sanitária instalada em Manaus".

A determinação atende a um pedido feito pelos partidos PCdoB e PT "no que se refere especificamente à questão absolutamente inconstitucional vivenciada pela população do estado do Amazonas, sobretudo da capital Manaus, quanto ao contágio pela covid-19".

Política