Topo

Após alta, bebê Sofia faz seu primeiro passeio em Miami (EUA)

Sofia posa com os pais no dia do passeio após receber alta de hospital em Miami (EUA) - Arquivo pessoal
Sofia posa com os pais no dia do passeio após receber alta de hospital em Miami (EUA) Imagem: Arquivo pessoal

Jacqueline Rocha

Do UOL, em Sorocaba (SP)

07/07/2015 13h48

Cinco dias depois de receber alta do hospital Jackson Memorial Hospital, a menina Sofia Gonçalves de Lacerda, fez seu primeiro passeio pelas ruas de Miami, nos Estados Unidos, neste domingo (5). Com apenas um ano e meio de vida, Sofia teve transplante de cinco órgãos do aparelho de digestivo por conta de uma má formação congênita.

O passeio dos pais com a menina foi acompanhado por uma amiga do casal que mora na cidade. "Passamos em alguns pontos turísticos de Miami, o que era impossível desde que viemos para cá no ano passado. A Sofia precisava estar o tempo todo no hospital. O máximo que saímos foi jardim do hospital", diz a mãe Patricia Lacerda.

A bebê chegou aos Estados Unidos há um ano para tratamento da Síndrome de Berdon, que provoca a má formação do sistema digestivo. Todo tratamento é custeado pelo governo brasileiro, o que foi conseguido depois de uma briga judicial. O custo foi estimado em cerca de R$ 2 milhões. Em abril, Sofia conseguiu o transplante de todos os órgãos (intestino grosso e delgado, fígado, pâncreas e estômago).

Após um período de recuperação, ela foi liberada para ficar em casa com os pais. "Ela precisa tomar 17 remédios por dia e ainda recebe uma alimentação direta no intestino, mas acreditamos que logo ela vai poder retirar", diz a mãe.

Para sair pela cidade, os pais pediram autorização da equipe responsável pelo transplante. A principal orientação foi não ficar em lugares com grande aglomeração de pessoas. Se ficarem perto de muita gente, a menina precisa usar uma máscara, para evitar contaminação.

O passeio foi feito no intervalo entre as medicações. Patricia diz que Sofia gosta de ficar ao ar livre e se sente emocionada em pensar que, aos poucos, a menina começa a ter uma vida normal. "Ela já está comendo pela boca, claro que pouco, mas isso vai aumentando a cada dia. Essa alimentação é feita de três em três horas".

Sobre o resultado da cirurgia, a mãe afirma que o corpo da menina está se adaptando bem aos novos órgãos. Ela disse que o intestino de Sofia já está funcionando como o de uma pessoa normal, mas que ela também tem uma bolsa de colostomia, que ajuda na eliminação das fezes por meio de um cateter.

Mais Notícias