PUBLICIDADE
Topo

Proteste acha inseto morto em pacote de café e pelos de rato em farinha

Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Do UOL, em São Paulo

17/08/2017 19h01Atualizada em 11/09/2017 13h27

A associação de defesa do consumidor Proteste encontrou um inseto morto em um pacote do café Mellita e pelos de ratos em embalagem da farinha Sol. Os resultados da primeira fase dos testes de segurança do alimento realizados em amostras de pó de café e farinha de trigo foram divulgados nesta quinta-feira (17).

Foram analisados também outras três marcas de café --Caboclo, Pilão e 3 Corações-- e três marcas de farinha --Dona Benta, Renata e Rosa Branca.

Segundo a Proteste, os testes foram feitos com base no regulamento técnico da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que estabelece os requisitos mínimos para avaliação de matérias estranhas macroscópicas e microscópicas, bem como seus limites de tolerância. 

Cada produto, de acordo com a legislação, pode trazer certa quantidade de corpos estranhos. Para o café, são permitidos até 60 fragmentos de insetos em 25g de amostra. Já para a farinha de trigo, são até 75 fragmentos de insetos em 50g de amostra.

A Melitta foi a única marca que não passou no teste. Foi encontrado um inseto inteiro morto em 25g de amostra. "Isso mostra que pode ter havido falhas no processo de produção, manipulação ou armazenamento do produto".

A mostra continha ainda 13 fragmentos de insetos, quantidade considerada aceitável. 

Já a embalagem da farinha Sol continha fragmento de pelo de roedor em 50g de amostra. Segundo a legislação, os pelos de roedores (que incluem rato, ratazana e camundongo) são potenciais transmissores de doenças e não permitidos nesse tipo de produto. O produto tinha também fragmentos de insetos em quantidade legal (25).

Diante dos resultados do teste, a Proteste solicitou aos órgãos fiscalizadores que os produtos em desacordo com a norma sejam retirados do mercado.

Fabricantes contestam teste

Em nota, a Mellita diz desconhecer os procedimentos utilizados para o teste dos produtos e realizar análises periódicas com laboratórios independentes certificados. "Em nenhum momento foram encontradas as irregularidades divulgadas pelo Instituto Proteste", relata a marca.

A J.Macêdo, fabricante da farinha de trigo Sol, enviou amostras do mesmo lote testado pela Proteste a um laboratório credenciado pela Anvisa, que comprovou que o "produto está em perfeita conformidade com as exigências da agência reguladora". 

E as demais marcas?

As marcas Caboclo e Pilão não apresentaram matérias estranhas macroscópicas e nem microscópicas. Já o café 3 Corações apresentou 15 fragmentos de insetos em 25g de amostra, o que está dentro da lei.

Todas as amostra de farinha restantes estavam de acordo com as regras da Anvisa: Renata (33 fragmentos de insetos em 50g de amostra), Dona Benta (3 fragmentos) e Rosa Branca (5 fragmentos).