Topo

Tecnologia

Dicas de tecnologia


Quer economizar? Invista num celular usado, mas veja estes cuidados

praetorianphoto/iStock
Celular usado vira opção para quem quer economizar Imagem: praetorianphoto/iStock

Rodrigo Lara

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-03-17T04:00:00

17/03/2019 04h00

Que tal levar para casa um Galaxy S8 por cerca de R$ 1.500? Ou um iPhone 7 na mesma faixa de preço de um celular intermediário novo? Comprar um aparelho usado é hoje uma opção para quem não pode arcar com os valores de lançamento de aparelhos.

Uma breve busca por celulares usados em sites de compra e venda, como o Mercado Livre e OLX, trará resultados atraentes de smartphones que há alguns anos foram considerados top de linha.

De acordo com Danilo Martins, sócio-diretor da empresa especializada em compra, venda, troca e refabricação de celulares usados Yesfurbe, isso acaba sendo reflexo de um hábito do consumidor brasileiro.

"Cada vez mais os brasileiros estão querendo trocar de celular todo ano e isso gera uma ótima oportunidade para o mercado de usados", diz.

Especialmente se considerarmos que os preços dos celulares estão cada vez mais altos e, ao comprar um usado, é possível levar um aparelho de boa qualidade por um preço 30 a 40% menor do seria pago em um novo

CUIDADO, BARATO PODE SAIR CARO

São muitos modelos disponíveis e uma gama de preços atraentes. Mas, fique esperto para evitar o famoso "barato que sai caro".

Antes de qualquer coisa, é importante a pessoa garantir que o celular comprado esteja homologado pela Anatel

Martins

Há duas razões para isso. A primeira é que um celular pirata costuma usar peças simplificadas e deixar de lado diversos recursos do modelo original, além de trazer uma versão modificada do Android repleta de malwares e backdoors (acessos abertos para invasões).

Outra questão é que a Anatel tem intensificado o ritmo de bloqueio de celulares do tipo, milhares deles já pararam de funcionar.

Mas, uma vez que você tenha certeza de que está adquirindo um aparelho original, o próximo passo é fazer uma boa pesquisa para saber o preço médio do aparelho no mercado de usados --e, assim, evitar gastar muito ou, ainda, levar um aparelho muito barato, mas com defeitos "escondidos".

Uma forma de saber a situação do aparelho é acessar o teclado usado para ligações, digitar o código *#06# e, depois, consultar o número do IMEI no site da própria Anatel.

DE OLHO NA SAÚDE

O exterior do celular também é algo a ser levado em conta e pode dar muitas pistas sobre como o aparelho foi usado e possíveis problemas decorrentes de um dono anterior pouco cuidadoso. Aqui, é importante procurar danos mais aparentes, como amassados ou rachaduras, e também ver se a tela do aparelho apresenta alguma mancha e verificar se o touchscreen funciona normalmente.

Trocar a tela de um aparelho sai caro e, na maioria dos casos, comprar um celular usado com esse defeito não compensa.

"Bateria e wifi são itens que podem apresentar problemas ao longo do tempo. É importante lembrar que o smartphone tem um período de vida útil e, conforme ele vai chegando ao fim, a tendência é que os aparelhos tenham mais problemas e menos tempo de uso", afirma Guille Freire, CEO da Trocafone, empresa especializada no comércio de celulares seminovos.

No caso do wifi, um teste de conexão a uma rede já é o suficiente para saber se tudo está ok.

Saber a saúde da bateria, no entanto, é um pouco mais complexo. Os celulares Android, há alguns anos, até tinham um menu "secreto" que mostrava o estado do componente após digitar o código *#*#4636#*#* na tela de discagem. Porém, a desapareceu nas versões mais recentes do sistema operacional.

No caso do iPhone, obter essa informação é mais simples nos aparelhos equipados com o sistema operacional a partir do iOS 11.3. Basta ir em "Configurações" e depois em "Bateria" e "Saúde da bateria".

Também é interessante saber se o celular que você está atrás tem previsão de continuar sendo atualizado com o passar do tempo. Para descobrir isso, basta fazer uma simples busca pela internet ou entrar em contato com os canais de suporte do fabricante.

Se, ainda assim, você não se sentir seguro sobre as condições de um aparelho usado, mas acredita que esse é o melhor negócio, há a opção de empresas especializadas na venda de smartphones do tipo.

A vantagem é que, em geral, esses celulares são revisados e contam com garantia. Por outro lado, os valores praticados costumam ser menos atrativos do que os encontrados em uma negociação direta com vendedores.