Incêndio em restaurante de Mumbai mata 14 pessoas

Em Mumbai

  • AFP

Ao menos 14 pessoas morreram na quinta-feira à noite em um grande incêndio que destruiu um restaurante popular de Mumbai, demonstrando mais uma vez as falhas de segurança em edifícios na Índia.

Onze vítimas eram jovens mulheres que participavam em uma festa de aniversário no restaurante, localizado em um prédio comercial do centro da cidade.

Os médicos informaram que elas morreram asfixiadas quando tentavam fugir do edifício em chamas.

A imprensa local afirmou que muitas vítimas não conseguiram escapar do local depois que o teto rebaixado do estabelecimento desabou.

Os bombeiros conseguiram apagar as chamas na manhã de sexta-feira. O topo do prédio ficou totalmente destruído.

"Quatorze pessoas morreram em consequência dos ferimentos e as demais vítimas receberam alta do hospital KEM. Muitas mortes foram provocadas por asfixia", disse Avinash Supe, diretor do hospital King Edward Memorial de Mumbai.

Um comandante da polícia havia anunciado um balanço preliminar de 15 mortos.

O incêndio começou 00H30 (17H00 de Brasília) no restaurante, que fica no último andar de um prédio comercial do complexo Kamala Mills, no centro de Mumbai, um local que reúne restaurantes, lojas e hotéis.

As chamas atingiram dois bares próximos e destruíram todo o imóvel em apenas meia hora.

A polícia indicou que abriu uma investigação, que aponta principalmente para os proprietários do restaurante.

Segundo a agência Press Trust of India, cinco responsáveis municipais foram suspensos por negligência em relação com o incêndio. Por enquanto, não há nenhuma confirmação disponível.

- "Destruídos" -Uma mulher que se encontrava no edifício relatou as tentativas desesperadas de fugir das chamas.

"Houve uma debandada e alguém me empurrou", explicou no Twitter Sulbha Arora. "As pessoas corriam por cima de mim, enquanto o teto, queimando, desabava. Ainda não sei como saí viva de lá", disse.

"Os banheiros femininos estavam longe da saída, e muitas morreram asfixiadas", explicou Torel Thakur à AFP no hospital Bhatia de Mumbai, onde seu marido estava sendo atendido por queimaduras. "Nenhuma das pessoas que estavam nos banheiros sobreviveu".

"Quando o fogo se intensificou, as pessoas começaram a correr e a gritar pedindo ajuda", relatou seu marido, Pratik Thakur. "A maioria não sabia onde estava a saída de emergência, e começaram a pular uns sobre os outros".

Entre as vítimas estavam os irmãos Dhariya e Vishwa Lalani, que estavam jantando no restaurante. Ambos foram sepultados nesta sexta-feira.

O primo das vítimas Viral Chheda afirmou que os dois estavam sentados perto da saída e conseguiram escapar, mas retornaram ao perceber que não sabiam onde estava sua tia. Ela também faleceu na tragédia.

"Estamos completamente destruídos", disse Chheda à AFP durante o enterro dos primos. Ele pediu que os responsáveis pelo incêndio sejam processados.

Vários meios de comunicação têm escritórios no edifício, como o Times Now, Mirror Now e ET Now, todos atingidos pelas chamas.

De acordo com a imprensa local, o fogo começou em um andar superior e se propagou para o restante do prédio em apenas meia hora.

Imagens da TV indiana mostraram várias ambulâncias e caminhões de bombeiros nas proximidades do prédio em chamas.

O presidente indiano, Ram Nath Kovind, e o primeiro-ministro, Narendra Modi, expressaram pêsames no Twitter.

Os incêndios acidentais são frequentes na Índia por conta das normas de segurança frágeis e da ausência de controles.

Há algumas semanas, 12 trabalhadores morreram em um incêndio em seu dormitório em Mumbai.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos