PUBLICIDADE
Topo

'Não recuperaremos a confiança de um dia para o outro', dizem bispos chilenos

22/05/2018 19h19

Santiago, 22 Mai 2018 (AFP) - Porta-vozes dos bispos chilenos, que na sexta-feira colocaram seu cargo à disposição do papa Francisco, afirmaram nesta terça-feira (22) que será difícil recuperar a confiança de seus fiéis em meio a uma investigação por abusos sexuais e seu encobrimento por parte da Igreja chilena.

"Não vamos recuperar a confiança de um dia para o outro", afirmou Santiago Silva, presidente da Conferência Episcopal do Chile, em entrevista coletiva nesta terça em Santiago.

No final de uma série de reuniões no Vaticano na semana passada, 34 bispos chilenos deixaram seus cargos à disposição do Papa, que ainda não havia decidido quantos iriam manter seus postos.

A Santa Sé abriu uma profunda investigação após as denúncias contra o bispo Juan Barros, que é acusado de encobrir o influente sacerdote Fernando Karadima, banido pelo resto da vida depois de ser condenado em 2011 por abuso sexual de menores nos anos 1980 e 1990.

Ao retornar ao Chile e aguardando a resolução de Francisco, os bispos chilenos voltaram a pedir desculpas às vítimas e anunciaram que iniciarão um diálogo "no qual ninguém se sinta excluído".

"Enquanto (o papa) faz as mudanças, ele nos pediu para sermos uma Igreja profética", disse Silva.

Por enquanto "estamos todos em plena função", explicou o bispo de San Bernardo, Juan Ignacio González.

A renúncia "é um ato de disponibilidade (...) para que o papa possa fazer o que achar melhor", acrescentou.

Minutos antes da entrevista coletiva com os porta-vozes dos bispos chilenos, o Vaticano anunciou que o papa Francisco receberá um segundo grupo de vítimas de Karadima, como fez há algumas semanas com James Hamilton, Juan Carlos Cruz e José Andrés Murillo.

Conforme informado pela assessoria de imprensa da Santa Sé, entre 1º e 3 de junho receberá cinco sacerdotes que foram "vítimas de abusos de poder, de consciência e sexuais" por Karadima. Juntamente com eles, viajarão dois padres que ajudaram as vítimas e dois leigos "envolvidos neste sofrimento".

Com este encontro, acrescenta o comunicado, termina a primeira fase de reuniões com as vítimas de um "sistema abusivo estabelecido há várias décadas na mencionada paróquia" de El Bosque, no leste de Santiago, onde Karadima era mentor.