Sindicatos petroleiros pedem suspensão de greve

Rio de Janeiro, 31 Mai 2018 (AFP) - A Federação Única dos Petroleiros (FUP) recomendou nesta quinta-feira aos sindicatos da categoria a suspensão da greve de 72 horas iniciada na véspera, após sentença do Tribunal Superior do Trabalho (TST) aumentando a multa aos grevistas.

A mobilização dos petroleiros, que é considerada o prelúdio de outra greve por tempo indeterminado, marcada para meados de junho, joga mais gasolina na fogueira do país, que está só começando a normalizar a distribuição de alimentos e gasolina, após a greve dos caminhoneiros contra os altos preços do diesel.

Os petroleiros exigem a demissão do presidente da Petrobras, Pedro Parente, o fim da política atual de reajuste de preços e o fim da venda de ações da estatal, medidas impulsionadas pelo presidente Michel Temer.

O FUP considerou a decisão do TST de subir de R$ 500 mil para R$ 2 milhões a multa diária aplicada aos sindicatos dos petroleiros que aderirem à greve, uma "violação grave dos direitos sindicais" e apontou que a suspensão da greve seria temporária.

"A decisão do TST é claramente para criminalizar e inviabilizar os movimentos sociais e sindicais. Diante disso, a FUP orienta os sindicatos a suspenderem a greve. Um recuo momentâneo e necessário para a construção da greve por tempo indeterminado, que foi aprovada nacionalmente pela categoria. Essa grave violação dos direitos sindicais será amplamente denunciada", anunciou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos