Topo

Trump diz que queda de Morales é sinal para Venezuela e Nicarágua

11/11/2019 20h23

Washington, 11 Nov 2019 (AFP) - O presidente dos EUA, Donald Trump, saudou a queda do líder esquerdista da Bolívia Evo Morales como um sinal para regimes "ilegítimos", e elogiou o papel dos militares na crise.

"Os Estados Unidos aplaudem o povo boliviano por exigir liberdade e os militares bolivianos por cumprir com seu juramento de proteger não apenas uma pessoa, mas a Constituição da Bolívia", disse Trump.

"Estes eventos enviam um sinal forte aos regimes ilegítimos na Venezuela e na Nicarágua de que a democracia e a vontade do povo sempre prevalecerão", declarou Trump sobre os outros dois governos de esquerda ligados a Morales, que Washington considera "tiranias".

Trump disse que a renúncia de Morales, que tentava um quarto mandato mesmo após perder um referendo em 2016 sobre sua reeleição, marca um "momento significativo para a democracia no hemisfério ocidental".

"Após quase 14 anos e sua recente tentativa de desautorizar a Constituição boliviana e a vontade do povo, a partida de Morales preserva a democracia e abre caminho para se fazer ouvir a voz da população", assinalou Trump.

Um funcionário da diplomacia americana rejeitou as acusações de "golpe de estado" por parte dos militares bolivianos, chamando a narrativa de "falsa".

"Morales e seus partidários se dizem vítimas de um golpe de Estado, mas os eventos mostram claramente que o povo boliviano simplesmente se esgotou de um governo que ignora a vontade de seus eleitores", disse o funcionário do departamento de Estado.

O funcionário, que pediu para não ser identificado, disse que os legisladores bolivianos devem aceitar formalmente a renúncia de Morales e convocar novas eleições.

"Fazemos um apelo à Assembleia Nacional para que se reúna, obtenha o quórum requerido e determine uma transição constitucional visando eleições o mais cedo possível".

sct/ec/cc

Notícias