PUBLICIDADE
Topo

Primeira paralisação e manifestação no Uruguai contra o governo de Lacalle Pou

04/06/2020 17h12

Montevidéu, 4 Jun 2020 (AFP) - A central sindical uruguaia realizou a primeira greve geral contra o governo Luis Lacalle Pou nesta quinta-feira (4), junto com uma mobilização em frente ao prédio do Parlamento, onde uma lei considerada chave para a coalizão dominante começou a ser votada.

A manifestação foi convocada pelo centro sindical PIT-CNT em resposta à Lei de Urgente Consideração (LUC), uma norma promovida pelos partidos do governo que contém 476 artigos que envolvem segurança, economia, educação e saúde.

"A LUC não tem nada a ver com a emergência nacional, nem em sua forma ou seu conteúdo", ressaltou o secretário-geral da central, Marcelo Abdala, no palanque.

Os sindicatos também exigiram uma renda básica de emergência, assim como a defesa do poder de compra e dos empregos, alertando que mais de 200.000 pessoas solicitaram seguro-desemprego por causa da crise gerada por medidas de contenção da epidemia do novo coronavírus.

A mobilização, sob o lema "a emergência é o povo", foi realizada solicitando que mantivessem o respeito às medidas de distanciamento social.

Para isso os organizadores pintaram pontos brancos na rua em que recomendavam que cada um permanecesse. Eles também distribuíram máscaras e álcool gel.

A LUC é uma das prioridades do governo Lacalle Pou, que assumiu o cargo no último 1º de março com a ideia de que o projeto entraria no Parlamento alguns dias depois. No entanto, a pandemia de coronavírus os forçou a adiar os planos.

Somente nesta quarta a lei começou a ser discutida no Senado, e no sábado irá para a Câmara dos Deputados, onde eles terão 30 dias para aprová-la com ou sem modificações.

gv/yow/bn/jc

Notícias