PUBLICIDADE
Topo

Economia britânica começa a se recuperar, após impacto da pandemia

24/07/2020 10h46

Londres, 24 Jul 2020 (AFP) - A economia britânica exibe sinais de franca recuperação, com um forte aumento nas vendas no varejo e na atividade do setor privado após meses de confinamento pela pandemia - apontam vários indicadores divulgados nesta sexta-feira (24).

Os dados revelam uma melhora econômica, graças a um retorno progressivo às atividades após a suspensão gradual do confinamento.

Os economistas ainda debatem, porém, se haverá, ou não, uma recuperação em "V", após a histórica recessão causada pela pandemia de coronavírus.

O índice PMI "flash" (serviços e indústria) da consultoria Markit subiu para 57,1 pontos, um pico desde junho de 2015.

É a primeira vez, desde fevereiro, que ultrapassa os 50 pontos, nível que reflete um aumento de atividade, de acordo com esta primeira estimativa de julho.

A Markit explica esse aumento pelas medidas de saída do confinamento desde junho, com a reabertura de lojas e o retorno gradual ao trabalho.

Já as vendas no varejo aumentaram fortemente (+ 13,9%) em junho, conforme dados do Escritório Nacional de Estatística (ONS).

"Dois meses de recuperação em maio e junho levaram o total de vendas a um nível semelhante ao de antes da pandemia do coronavírus", diz o ONS.

Chris Williamsonm, economista da Markit, é cauteloso, porém.

"Embora a recessão pareça breve, as cicatrizes vão ser, sem dúvida, profundas (...) E, embora as empresas pareçam muito mais otimistas para o próximo ano, uma recuperação em V não está garantida", adverte.

O economista acrescenta que qualquer recuperação poderá se ver contida no caso de um Brexit sem acordo no final do ano. Esse cenário seria um duro golpe para as relações comerciais do Reino Unido com a União Europeia.

ved-jbo/dga/me/pc/tt

MARKIT

MARKS AND SPENCER GROUP