PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Reino Unido avança na vacinação e já imunizou mais de 20 milhões

Margaret Keenan, 90 anos, foi a primeira a receber vacina contra covid-19 no Reino Unido, em dezembro de 2020 - Jacob King/AFP
Margaret Keenan, 90 anos, foi a primeira a receber vacina contra covid-19 no Reino Unido, em dezembro de 2020 Imagem: Jacob King/AFP

28/02/2021 20h57

Com 20 milhões de pessoas tendo recebido pelo menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19, o Reino Unido se colocou neste domingo entre os países mais avançados na vacinação, cujo atraso na União Europeia obriga seus membros a focarem na vacina russa Sputnik V.

O premier britânico, Boris Johnson, declarou que seu país conseguiu "uma façanha nacional" e agradeceu ao sistema de saúde e seus profissionais por "seu trabalho incansável".

Apenas Israel e os Emirados Árabes já vacinaram uma porcentagem maior de sua população do que o Reino Unido, cujo governo espera ter aplicado uma dose em todos os adultos até o fim de julho.

"Estou muito feliz que mais de 20 milhões de pessoas já tenham sido vacinadas no Reino Unido", declarou o ministro da Saúde, Matt Hancock, em vídeo publicado no Twitter. Ele agradeceu "a todos aqueles que compareceram para a imunização, porque sabemos com mais ou menos certeza que a vacina os protege, protege sua comunidade e também é a via de saída para todos".

O anúncio coincide com a preocupação crescente no país, de 66 milhões de habitantes, com a presença em seu território da variante do vírus que surgiu em Manaus, considerada mais contagiosa. Muito afetado pela pandemia, com quase 123.000 mortos, o Reino Unido aposta na vacinação em massa para sair do confinamento. Com sua campanha, iniciada em dezembro e uma das mais adiantadas no mundo, o governo tem o objetivo de que todas pessoas com mais de 50 anos recebam a primeira dose até 15 de abril, e todos os adultos até o fim de julho.

Para não desacelerar o progresso, a vacinação continuará em seguida de acordo com critérios de faixa etária, e não de profissões mais expostas, como policiais e professores, de acordo com a recomendação do comitê científico que monitora a campanha.

O Reino Unido atingiu em meados de fevereiro o objetivo de vacinar as quase 15 milhões de pessoas com mais de 70 anos, profissionais de saúde, residentes e funcionários de casas de repouso. Mas enquanto o país comemora o ritmo intenso da vacinação, autoridades sanitárias anunciaram hoje que detectaram seis pessoas infectadas com a variante identificada na cidade de Manaus, que poderia resistir às vacinas existentes. Uma dessas pessoas não pôde ser localizada, devido a informações incompletas que forneceu no momento do teste.