PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
2 meses

Três soldados armênios mortos em confrontos com o Azerbaijão

28/07/2021 08h47

Erevan, 28 Jul 2021 (AFP) - Três soldados armênios morreram em confrontos com as forças azerbaijanas na fronteira, no confronto mais violentos desde o fim da guerra em Nagorno-Karabakh, anunciou nesta quarta-feira (28) o ministério armênio da Defesa.

Após os confrontos - que começaram durante a noite e continuaram até esta manhã -, os dois lados anunciaram que haviam concordado com um cessar-fogo na fronteira, proposto por Moscou.

"Um acordo foi alcançado para restabelecer o regime de cessar-fogo no setor nordeste da fronteira Armênia-Azerbaijão com a mediação das forças de paz russas", declarou o ministério da Defesa da Armênia.

O Azerbaijão também disse que aceitou a iniciativa russa de encerrar os combates, que ocorreram principalmente nos arredores da vila de Sotk, perto da região de Kelbajar, uma das regiões que Baku passou a controlar após a guerra de Nagorno-Karabakh em 2020.

As forças armênias reportaram três mortos e dois feridos entre suas fileiras. O Azerbaijão indicou que dois de seus soldados ficaram feridos.

"Devido às ações armadas executadas após um ataque das forças azerbaijanas, há três mortos e dois feridos no lado armênio", informou um comunicado do ministério.

O ministério armênio das Relações Exteriores afirmou que as forças azerbaijanas "executaram uma ofensiva às 3h40 contra posições armênias" e depois aconteceram "combates locais".

Um comunicado do ministério da Defesa do Azerbaijão explicou que os combates começaram por volta de 0h50. O governo azerbaijano acusou as forças armênias de "utilizar armas leves e lança-granadas" contra suas posições.

As duas partes trocaram acusações sobre o incidente, o mais violento desde o fim da guerra entre Armênia e Azerbaijão de 2020 pelo controle do disputado território de Nagorno-Karabakh.

"O Azerbaijão está deliberadamente pressionando por uma escalada da situação, enquanto suas forças permanecem ilegalmente no território soberano da Armênia", disse o ministério das Relações Exteriores da Armênia.

"A Armênia é totalmente responsável pela escalada das tensões na fronteira", disse o ministério da Defesa do Azerbaijão, enquanto prometeu "reagir de forma decisiva às violações da integridade territorial do país".

Nos últimos meses, a Armênia e o Azerbaijão travaram vários confrontos armados em sua fronteira comum.

Apesar das declarações de boa vontade de ambos os governos, os confrontos aumentaram.

Em 23 de julho, um soldado azerbaijano foi morto e três soldados armênios foram feridos em trocas de tiros, após a morte alguns dias antes de um soldado armênio em confrontos semelhantes.

E em maio, seis soldados armênios foram capturados pelas forças do Azerbaijão em uma área de fronteira.

A guerra de seis semanas no ano passado, que deixou mais de 6.500 mortos, terminou com uma derrota militar para a Armênia, que se viu obrigada a ceder importantes territórios ao Azerbaijão com base em um acordo de cessar-fogo negociado com a mediação da Rússia.

mkh-eg-im/pc/zm/mr