PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

MP do Peru dá 24 horas para cremar corpo do líder do Sendero Luminoso

23/09/2021 20h37

Lima, 23 Set 2021 (AFP) - O Ministério Público do Peru deu um prazo de 24 horas para que seja cremado o corpo do líder do grupo armado maoísta Sendero Luminoso, Abimael Guzmán, cujos restos mortais estavam em disputa entre sua viúva e o governo.

A Promotoria de Callao, cidade portuária na região metropolitana de Lima, onde fica a prisão de segurança máxima onde Guzmán cumpria pena de prisão perpétua desde 1992, ordenou, doze dias após sua morte, "a cremação do cadáver do líder terrorista", indicou o órgão no Twitter.

O Ministério da Justiça e o Ministério do Interior estão encarregados de recolher o corpo no necrotério e devem proceder "à cremação e o destino final de seus restos em um prazo máximo de 24 horas", acrescentou.

Não se sabe onde será a cremação e se haverá registro do fato, a pedido de alguns parlamentares de direita.

O ministro do Interior, Juan Carrasco, avisou na terça-feira que a cremação ocorreria de forma reservada. "No dia em que tudo estiver terminado veremos que o disposto pela norma já foi seguido", declarou então Carrasco.

Guzmán morreu aos 86 anos em 11 de setembro, de pneumonia, segundo o Instituto Penitenciário. Sua saúde havia piorado nos últimos meses e ele seria transferido para outra prisão em janeiro de 2022. Em agosto, foi hospitalizado por supostos problemas renais.

O cadáver de Guzmán estava em poder do Ministério Público desde sua morte, depois que um promotor rejeitou o pedido de sua viúva Elena Yparaguirre, que está presa, para enterrá-lo por meio de uma terceira pessoa.

Yparraguirre, também prisioneira perpétua e número dois do Sendero Luminoso, apelou da decisão a um juiz e acusou o governo de "assassinato", mas sua queixa não foi respondida.

A promotoria alegou motivos de segurança nacional para cremar o corpo e não entregá-lo à viúva, temendo que o túmulo se tornasse local de peregrinação do Sendero Luminoso, grupo considerado terrorista e tornado ilegal há anos.

O governo de esquerda peruano promulgou há uma semana uma lei votada pelo Congresso para autorizar a cremação de cadáveres pelo Estado, diante de um vazio legal em casos como o de Guzmán.

O prisioneiro mais famoso do Peru passou seus últimos 29 anos condenado como o mentor intelectual de um dos conflitos mais sangrentos da América Latina, com 70 mil mortos, de acordo com a Comissão da Verdade e Reconciliação.

O Sendero Luminoso lançou uma "guerra popular" marcada por cruéis ações terroristas entre 1980 e 2000.

cm/ljc/dga/mvv/ic