PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Sérvia decreta alerta máximo para tropas na fronteira com o Kosovo

26/09/2021 11h31

Belgrado, 26 Set 2021 (AFP) - A Sérvia aumentou o nível de alerta de suas forças armadas posicionadas na fronteira com o Kosovo, informou neste domingo (26) o ministério da Defesa, acusando seu vizinho de "provocações" após uma recente implantação policial, em uma nova espiral de tensão entre Belgrado e Pristina.

As forças especiais da polícia kosovar (ROSUs) foram posicionadas na segunda-feira passada perto de duas passagens de fronteira no norte do Kosovo, uma área habitada principalmente por sérvios que rejeitam a autoridade do governo kosovar.

Essa implantação, que irritou os sérvios, ocorreu depois que o governo do Kosovo decidiu proibir a entrada de veículos com placas sérvias em seu território, uma "medida de reciprocidade", segundo Pristina.

Desde então, centenas de sérvios protestam contra a decisão, bloqueando o tráfego de caminhões nas estradas que levam aos dois postos de fronteira.

"Depois das provocações das unidades da ROSU, que estão no norte do Kosovo há uma semana, o presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, ordenou que o alerta fosse elevado para parte do Exército sérvio e unidades da polícia", informou um comunicado do ministério da Defesa sérvio.

Aviões de combate sérvios voltaram a sobrevoar a área de fronteira no final da manhã deste domingo, confirmou um correspondente da AFP no local. Eles já haviam feito isso no sábado.

O ministro da Defesa sérvio, Nebojsa Stefanovic, visitou esta manhã as tropas em alerta em duas bases militares, uma delas a poucos quilômetros da fronteira, e "grupos táticos" implantados "na direção da passagem administrativa de Jarinje", segundo a mesma fonte.

Belgrado não reconhece a independência proclamada por sua antiga província em 2008 e chama as passagens de fronteira entre a Sérvia e o Kosovo de "passagens administrativas".

Durante sua visita às tropas, o ministro Stefanovic estava acompanhado pelo chefe das Forças Armadas, o general Milan Mojsilovic, e pelo embaixador russo em Belgrado, Alexander Botsan-Kharshenko, segundo o comunicado.

A Rússia também não reconhece a independência do Kosovo, ao contrário da maioria dos países ocidentais, como os Estados Unidos.

A Albânia, "preocupada com a escalada da situação", pediu a Belgrado que "retire as forças armadas posicionadas na fronteira com Kosovo".

"Devido aos acontecimentos no norte do país", o presidente do Kosovo, Vjosa Osmani, interrompeu sua visita a Nova York no sábado, onde participava da Assembleia Geral da ONU, informou seu gabinete.

bur-rus/fio/erl/es/mr