Em evento no BID, Alckmin diz que PSDB está cauteloso sobre crise política

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil

Em evento de inauguração do escritório do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em São Paulo, hoje (29), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que seu partido está cauteloso com a crise política no país e evitou fazer comentários sobre a situação atual do governo federal e se o seu partido continuará apoiando o presidente Michel Temer.

"Não vamos fazer nenhuma análise neste momento. A decisão do Tribunal Superior Eleitoral começa no dia 6 e não há razão para nenhuma especulação neste momento", disse Alckmin. "O PSDB tem tido atitude de cautela para ajudar o Brasil. Não podemos agravar uma situação que já é grave. Temos que preservar a população, o emprego, a economia e agir com responsabilidade", ressaltou.

O governador também negou que tenha se reunido com o presidente Michel Temer no final de semana, em Brasília. "Não saí de São Paulo", garantiu.

Escritório do BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) inaugurou hoje (29) um escritório de representação em São Paulo. O BID é um banco multilateral de desenvolvimento e uma das principais fontes de financiamento para a América Latina e o Caribe.

"Para nós é um momento importante abrirmos um escritório. Este é o primeiro país em que temos um escritório fora da capital, aqui em São Paulo. A ideia é desenvolver mais atividades do setor privado, mas também poderemos acompanhar os esforços que o banco vem fazendo com atores públicos. Nosso principal cliente é o estado de São Paulo", disse Luis Alberto Moreno, presidente do BID.

Hoje, a Corporação Interamericana de Investimentos (CII), braço do grupo BID, administra cerca de US$ 3,1 bilhões no Brasil. O objetivo da CII é ampliar a presença nos países-membros mutuários da América Latina e Caribe.

"O BID já é grande parceiro no financiamento de obras estratégicas para São Paulo, como o Rodoanel, a Linha 5 do Metrô, o saneamento básico, os programas de sustentabilidade como a Serra do Mar e agora também com o financiamento do setor privado", disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Cracolândia

Alckmin ainda destacou a parceria com a prefeitura da capital para enfrentar o problema do crack. Na noite de ontem, os dois entes criaram um comitê de coordenação que pretende unir os projetos de cada um, o Redenção e o Recomeço, para a região da Cracolândia, na Luz, em São Paulo. Conforme anunciado, o comitê será coordenado pelo psiquiatra Artur Guerra, pela prefeitura, e por Ronaldo Laranjeira, pelo estado.

"Já temos uma parceira muito boa com a prefeitura e agora ela ganha dois experts por parte do nosso programa Recomeço, com Laranjeira, e Artur Guerra. Vamos também trazer outros médicos e especialistas com profundo reconhecimento para trabalharmos juntos. O que interessa é dar oportunidade para que o dependente químico se recupere", disse ele.

Segundo o governador, o tratamento dos dependentes será para casos excepcionais. "É óbvio que o foco tem que ser a internação voluntária, a abordagem e, de outro lado, o combate ao tráfico de drogas", falou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos