Defesa entra com pedido de liberdade de Paulo Preto no STF

  • Evelson de Freitas/Estadão Conteúdo

A defesa do ex-diretor da Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, entrou há pouco com pedido de liberdade no Supremo Tribunal Federal (STF). Souza foi preso na manhã de hoje (30) pela Polícia Federal por determinação da Justiça de São Paulo.
 
O habeas corpus será julgado pelo ministro Gilmar Mendes, que mandou soltar Paulo Preto no início do mês, quando o acusado foi preso pela primeira vez. A defesa alega que não há fato novo que justifique nova prisão, decretada para preservar as investigações.
 
O ex-diretor é alvo de processo sobre supostas irregularidades ocorridas em desapropriações para a construção do Rodoanel Sul, entre outras, que teriam acarretado um prejuízo de mais de R$ 7,7 milhões aos cofres públicos. O ex-diretor atuou em gestões do PSDB no governo paulista.
 
A defesa do acusado alegou na petição enviada ao ministro Gilmar Mendes que não há nenhuma prova no decreto de prisão que demonstre algum tipo de contado entre ele a as testemunhas do processo.

O engenheiro Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, ex-diretor da Dersa, foi preso na manhã de hoje - José Cruz/Arquivo/Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos