PUBLICIDADE
Topo

Cheia do rio Guaíba atinge maior nível desde 1941

12/10/2015 15h38

As fortes chuvas que atingem o Rio Grande do Sul desde a última quarta-feira (7) vêm danificando estradas, alagando bairros inteiros e elevando o volume dos rios para níveis acima do normal. O resultado é um número crescente de famílias prejudicadas.

No caso do Rio Guaíba - que banha Porto Alegre e alguns municípios da região metropolitana - a água bateu os 2,86m por volta das 14h, conforme informou o Sistema Metroclima da Prefeitura da capital gaúcha. A marca histórica não era vista desde 1941, quando o Guaíba chegou a 4m76cm e inundou parte do centro histórico de Porto Alegre. De acordo com o Sistema Metroclima, a situação foi agravada pela forte incidência dos ventos do quadrante Sul no domingo, quando o Guaíba subiu 20 cm em um só dia.

Na manhã desta segunda-feira, a condição era considerada estável devido à diminuição do vento, mas horas depois o Guaíba retomou a tendência de elevação. Uma questão preocupante é o fato de o Rio Jacuí, principal afluente do Guaíba, também estar com o volume acima da normalidade. Para evitar uma inundação no centro histórico de Porto Alegre, servidores do Departamento de Água e Esgotos Pluviais (DEP) fecharam 13 das 14 comportas do sistema de proteção de cheias do Cais Mauá.

"Tivemos que tomar providências mais duras em termos de segurança. Deixamos aberta apenas a comporta central para que os veículos possam entrar e as equipes fazerem o monitoramento", disse o prefeito José Fortunati. Também estão em funcionamento 17 das 18 casas de bombas. Apenas uma passa por manutenção.

Como a cheia do Guaíba alagou a região das ilhas em torno da capital, muitas famílias da região tiveram que buscar abrigo em ginásios ou na casa de parentes e amigos. O excesso de chuva também causou problemas em mais de 20 rodovias federais e estaduais do Rio Grande do Sul, que estão com bloqueio total e parcial em muitos pontos. De acordo com a previsão do tempo, esta segunda-feira poderá ter pancadas de chuva em determinadas regiões do Estado. Na terça-feira, a expectativa é de tempo seco, mas as precipitações devem voltar na quarta-feira.

Milhares de desalojados

De acordo com dados atualizados divulgados nesta segunda-feira, 12, pela Defesa Civil, cerca de 7.665 pessoas tiveram que deixar suas casas em todo o Estado (estão em abrigos ou na casas de parentes e amigos) e 24.443 foram afetadas pelas chuvas de alguma forma.

O número de municípios com ocorrências subiu de 46 para 53 desde domingo. Uma das principais apreensões no momento é com as cheias. Segundo a Defesa Civil, dos sete principais rios ou lagos do RS, quatro estão com as águas acima do nível de alerta.

Santa Catarina

No Estado vizinho de Santa Catarina, os problemas causados pelas chuvas começaram na última quinta-feira, com forte ocorrência de granizo, vendaval, inundação e deslizamentos. Por enquanto, a Defesa Civil catarinense contabiliza 31 municípios com algum tipo de dano e 4.390 pessoas afetadas.

Os dados apontam que 881 cidadãos tiveram que deixar suas casas. Também há registro de uma morte por descarga atmosférica.

Notícias