Topo

Dilma perde lugar para 'Japonês da PF' na festa em Olinda

Julio Cesar Guimarães/UOL
Máscara do 'Japonês da Federal' é um dos destaques na fábrica de produtos de Carnaval Imagem: Julio Cesar Guimarães/UOL

Em Recife

08/02/2016 08h56

O domingo de carnaval foi de muita animação e criatividade nos principais pontos de folia no Estado de Pernambuco. Foi também marcado pelo anúncio feito pelo empresário Leandro Bezerra de Castro, que comanda a Embaixada dos Bonecos Gigantes. Ele confirmou ter desistido de levar para a folia de Olinda a boneca feita em homenagem à presidente Dilma Rousseff. O desfile é realizado na manhã desta segunda-feira (8).

A razão, segundo Castro é a "baixa popularidade" enfrentada pela petista. "Muita gente me falou que achava que, se levássemos a Dilma, iríamos ter problemas com vaias e talvez até outras coisas mais graves. Então, para evitar a polêmica, decidi que ela não vai desfilar", destacou. No ano de 2015, a gigante Dilma também acabou ficando fora da festa.

Este ano, serão 80 bonecos gigantes participantes do desfile, que percorre o sítio histórico de Olinda ao som da Orquestra de Frevo de Pernambuco. Entre os estreantes estão o agente da Polícia Federal Newton Ishii, o "Japonês da Federal", e o juiz federal Sérgio Moro, à frente da operação Lava Jato.

No domingo (7), a festa começou cedo em Olinda. Antes das 8h30, milhares de foliões já aguardavam a saída de dois dos mais irreverentes blocos da cidade: o Mucha Lucha e o Enquanto Isso na Sala de Justiça.

O primeiro tem como tema a disputa entre "luchadores", homens que se vestem com roupas e máscaras inspiradas em personagens das lutas livres mexicanas. O segundo é formado por uma legião de super-heróis, dos mais variados tipos, cores e tamanhos.

No Agreste do Estado pernambucano, na cidade de Bezerros, onde a festa é comandada pelos Papangus (personagens fantasiados de forma super colorida, da cabeça aos pés), houve muitas críticas à atual situação econômica e política que o país atravessa. Além de "Dilmas", "Lulas", "Cunhas" e uma infinidade de outros políticos, houve ainda quem optou por mensagens sobre a epidemia de doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti, como a zika. No Recife, o dia foi de festa em homenagem ao samba.

Bahia

Em Salvador, a cantora Ivete Sangalo chamou atenção ao subir ao trio com dreadlocks no cabelo à frente do Bloco Coruja. A festa no Circuito Osmar atraiu milhares de pessoas cantando sucessos da cantora, que também teve como atração a participação de talentos infantis da música.

O cantor Márcio Vitor puxou o bloco Inter pedindo atenção à natureza. Estreando na folia deste ano, o Afoxé Filhos de Gandhy, com 66 anos de carnaval na Bahia, levou o tema da importância da folha para o orixá, propondo uma discussão sobre a preservação de matas e rios.

À noite, no bloco Crocodilo, puxado por Daniela Mercury, uma briga entre foliões e cordeiros interrompeu a festa por alguns momentos. A cantora protestou: "Há quantos anos que eu não via isso. Vai todo mundo dormir em cana. Por favor, violência não."

(As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".)