'É pior que quimioterapia', diz Neguinho da Beija-Flor sobre zika

Rio - Intérprete de uma das principais escolas de samba do Rio de Janeiro, Neguinho da Beija-Flor, de 66 anos, não escapou do surto de zika. A doença foi diagnosticada na madrugada de quinta-feira, quando ele procurou um posto de saúde em Nova Iguaçu (Baixada Fluminense), onde tem uma casa que frequenta com a família nos dias de folga.

Com medo de contagiar a filha Luiza Flor, de 7 anos, e a mulher, Elaine Reis Marcondes, Neguinho decidiu não voltar para o apartamento onde mora, em Copacabana (zona sul), até que os sintomas tenham desaparecido. Embora se sinta melhor, Neguinho diz que ainda tem muitas dores no corpo, enjoos e não sente o gosto da comida.

"Não consigo nem virar na cama. Até para pegar o telefone para atender preciso de ajuda", relatou o intérprete da Beija-Flor de Nilópolis. "Vou te dizer: a quimioterapia te deixa derrubado. Mas essa zika é cinco vezes pior. Só não cai o cabelo", comparou o artista, que em 2008 teve câncer no intestino, passou por uma cirurgia para retirada do tumor e fez tratamento químico. Em 2015, Neguinho anunciou estar livre do câncer.

"A gente não sabe como é o contágio da zika, então achei melhor não ficar em Copacabana, fico preocupado com minha filha. Estou contando com a ajuda dos amigos aqui de Nova Iguaçu", afirmou o cantor. Por enquanto, Neguinho diz estar sendo tratado com dipirona, soro e alimentação com muito líquido.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos