Gilmar Mendes diz que saída do PMDB deixará país mais difícil de gerenciar

De Lisboa

  • Armando Franca/AP

    O ministro Gilmar Mendes espera pelo início de conferência, em Lisboa

    O ministro Gilmar Mendes espera pelo início de conferência, em Lisboa

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta terça-feira que a crise política no Brasil se aprofundará, caso o PMDB deixe a coalizão governista, como esperado. O partido é o maior membro da base aliada da presidente Dilma Rousseff.

Mendes afirmou que o Brasil será um país mais difícil de gerenciar, caso o PMDB confirme mais tarde a saída do governo. Haverá uma reunião do diretório nacional do partido nesta terça-feira, que deve sacramentar a saída do governo.

Recentemente, o ministro do STF bloqueou a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro, devido a investigações de corrupção em andamento, decisão que ainda deve ser avaliada pelo pleno da Corte. Dilma buscava fortalecer o governo com a nomeação de Lula.

Mendes participa de uma conferência em Lisboa, que começou nesta terça-feira. Cerca de 50 pessoas, em sua maioria brasileiros, protestaram do lado de fora do evento contra as medidas em andamento para provocar o impeachment de Dilma, em meio a um grande escândalo que envolve o Partido dos Trabalhadores (PT), a sigla da presidente.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos