Braço de Direitos Humanos da ONU condena manifestação de Bolsonaro

Em São Paulo

  • Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

    Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) comemora a aprovação do relatório da comissão especial do impeachment

    Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) comemora a aprovação do relatório da comissão especial do impeachment

Em nota oficial divulgada nesta sexta-feira (22), o braço de direitos humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) manifestou repúdio "à retórica de desrespeito contra os direitos humanos", proferidas durante a votação da admissibilidade do impeachment, na Câmara dos Deputados, no último domingo.

O escritório regional para América do Sul do ACNUDH (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos) condenou a fala do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que fez referência a Carlos Alberto Brilhante Ustra, coronel reconhecido pela justiça brasileira como torturador durante a ditadura militar.

"Repudiamos qualquer tipo de apologia às violações de direitos humanos como a tortura, que é absolutamente proibida pela Constituição brasileira e pelo direito internacional", disse o representante do ACNUDH para América do Sul, Amerigo Incalcaterra. "Esses tipos de comentários são inaceitáveis, especialmente vindos de representantes das instituições brasileiras e eleitos por voto popular", criticou.

Bolsonaro exalta acusado de torturas ao votar a favor do impeachment​

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos