PUBLICIDADE
Topo

Em RO, Temer dá palanque a aliados que exaltam aplicação de emendas liberadas

23.nov.2017 - O presidente Michel Temer durante a cerimônia de inauguração do Hospital de Amor Amazônia, em Porto Velho - Alan Santos/PR
23.nov.2017 - O presidente Michel Temer durante a cerimônia de inauguração do Hospital de Amor Amazônia, em Porto Velho Imagem: Alan Santos/PR

Carla Araújo, enviada especial

Porto Velho

23/11/2017 15h08

Sem a presença do ministro da Saúde, Ricardo Barros, mas acompanhado de parlamentares da bancada de Rondônia, o presidente Michel Temer participou nesta quinta-feira, 23, de uma cerimônia Inauguração da unidade Amazônia do Hospital de Amor (novo nome do Hospital de Câncer de Barretos) e concedeu o palanque para que os políticos da região exaltassem a aplicação de emendas parlamentares na obra. A liberação de emendas impositivas foi uma das estratégias usadas pelo governo para derrubar as duas denúncias contra o presidente na Câmara.

"Nós da bancada, este ano, com emendas impositivas estamos repassando R$ 42 milhões (ao Estado)", disse o deputado Lucio Mosquini (PMDB), que destacou ainda que durante a viagem de Brasília a Porto Velho perguntou ao presidente sobre a possibilidade de se candidatar à reeleição. "Ele disse que não, mas então eu queria apresentar o governador Confúcio Moura (PMDB) como candidato à Presidência", afirmou. O governador, em sua fala, disse que "poderia até aceitar", mas brincou: "o problema é ganhar". Depois, em seu discurso, ao cumprimentá-lo, Temer rebateu: "cumprimento o governador e agora candidato à Presidência".

O presidente Michel Temer fez questão de dizer que a obra estava acontecendo por postulação dos parlamentares e das doações feitas e disse que o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, poderia pleitear mais. "Até proponho que você pleiteie a ampliação dessas doações e a ampliação dessas emendas", disse.

Temer - que tem tentado buscar apoio de parlamentares para a aprovação da reforma da Previdência e está em articulações com a base aliada para atender demandas em mudanças na Esplanada - disse ainda que traz da infância a lição de "levar em conta a consideração de terceiros" e que pauta sua conduta por "ponderação, equilíbrio e com a ideia de que nem sempre está certo".

Confúcio fez um discurso de exaltação aos dados econômicos e disse que "contra números não há argumentos". "Ninguém governa com maquiagem", afirmou.

Todos que tiveram palanque retribuíram com diversos elogios ao presidente, incluindo a deputada tucana Mariana Carvalho. "Tivemos a oportunidade de chegar a um acordo e fazer com que as emendas fossem destinadas ao Hospital do Amor", afirmou, fazendo agradecimentos a Temer.

O deputado Nilton Capixaba (PTB-RO), que também discursou, afirmou que Temer era um homem "simples" e "inteligente" e destacou sua disposição em ouvir parlamentares. "Quem recebe uma pessoa no gabinete à meia-noite é digno de ser presidente da República", disse.

Na comitiva presidencial estavam ainda os senadores Acir Gurgacz (PDT), Ivo Cassol (PP) e Valdir Raupp (PMDB) e os deputados Lindomar Garçon (PRB), Luiz Claudio (PR) e Marinha Raupp (PMDB). O líder do PMDB, Baleia Rossi, que também veio na comitiva com o presidente, recebeu elogios dos parlamentares do partido, que afirmaram que ele tem conduzido muito bem a bancada.

Hospital

A unidade Amazônia do Hospital de Amor, que oferece atendimento 100% pelo Sistema Único de Saúde, já está em funcionamento parcial, mas a previsão é que comece a realizar internações e cirurgias a partir de abril do ano que vem.

A unidade terá capacidade para atender 9 mil pacientes por mês e, segundo o governo, com a habilitação do hospital como unidade de alta complexidade em oncologia, ela passará a receber mais recursos da União.

Não se pode esperar tudo do poder público, diz Temer

UOL Notícias