Violência no Rio

Tiroteio na Mangueira deixa 4 mortos e PM ferido na cabeça

Roberta Pennafort

Rio

  • Fábio Motta/Estadão Conteúdo

    13.jan.2018 - Mulher desespera-se durante confusão em meio a operação da PM na Mangueira

    13.jan.2018 - Mulher desespera-se durante confusão em meio a operação da PM na Mangueira

Um tiroteio decorrente de operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) no Morro da Mangueira, na zona norte do Rio de Janeiro, deixou quatro pessoas mortas e três policiais militares feridos (um deles em estado grave) neste sábado (13). Moradores fizeram um protesto e fecharam a rua Visconde de Niterói, que dá acesso à favela.

Os manifestantes atearam fogo a objetos e atiraram garrafas na calçada, sendo dispersados por policiais do Choque. Moradores contaram à reportagem que três pessoas morreram na operação, daí a mobilização. A Polícia Civil confirmou ao fim do dia a morte de quatro pessoas. Segundo a PM, as vítimas seriam criminosos.

Dos três policiais feridos, dois foram atingidos por estilhaços e um terceiro foi gravemente ferido na cabeça, sendo internado no Hospital do Exército, em Benfica, na zona norte.

Agentes que participaram da operação relataram que três mortes foram resultado de "auto de resistência". As condições em que uma quarta pessoa foi atingida ainda não foram esclarecidas. A polícia não divulgou a identidade de nenhum dos mortos.

Segundo a PM, a operação policial foi planejada a partir de informações de que traficantes da comunidade do Jacarezinho estariam na Mangueira. Ontem, o corpo do delegado Fábio Monteiro foi encontrado no porta-malas de um carro no viaduto de Benfica. Logo em seguida, a polícia fez uma operação em busca dos autores do crime nas favelas do Jacarezinho e Arará, onde 40 pessoas foram detidas.

Zoo fechado e samba cancelado

O Jardim Zoológico do Rio, que funciona na Quinta da Boa Vista, foi fechado por questão de segurança.

Durante a ação, policiais desocuparam um prédio desativado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ao lado da favela. O edifício, abandonado há muitos anos, abriga famílias sem teto. Houve confusão. Mulheres e crianças foram retiradas à força e algumas pessoas foram levadas para averiguação.

Segundo a PM, até o fim da tarde, foram apreendidos um fuzil, três pistolas, uma granada e dois "artefatos explosivos", além de carregadores e munições de diferentes calibres.

Os confrontos começaram de manhã cedo. Na terça-feira (9), e também na quarta-feira (10), PMs entraram em embates com traficantes na Mangueira, que resultaram na apreensão de drogas e cadernos de anotações do tráfico. Os tiros atrasaram trens da

Protesto e ensaio cancelado

No protesto realizado por moradores durante a operação policial de hoje, a PM disse que agentes "foram atacados com pedras" e, "para estabilizar a situação", 24 pessoas foram detidas.

"Sobre os supostos excessos praticados por policiais, as denúncias deverão se encaminhadas à Corregedoria da Polícia Militar", declarou a PM em nota.

A Estação Primeira de Mangueira cancelou as atividades na quadra da escola de samba "devido à falta de segurança na região". Haveria uma feijoada com show da cantora Alcione e um ensaio-show. Os eventos foram transferidos para o próximo fim de semana.

*Com informações do UOL, no Rio e em São Paulo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos