Exonerada, Luislinda irá a Suíça representar governo em evento da ONU

Luci Ribeiro

Brasília

A jurista Luislinda Dias de Valois Santos foi exonerada nesta terça-feira, 20, do Ministério dos Direitos Humanos, mas, mesmo assim, irá representar a pasta na 37ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, em Genebra (Suíça).

O decreto que designa a ex-ministra para a viagem, com ônus pagos pelo governo, é assinado pelo presidente Michel Temer e Gustavo do Vale Rocha, que agora comanda os Direitos Humanos, depois da saída de Luislinda. O período da viagem da ex-ministra será de 24 de fevereiro a 2 de março, conforme o ato divulgado no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, 21.

A exoneração de Luislinda foi publicada nesta terça-feira e o anúncio de sua demissão ocorreu na segunda-feira (19). Gustavo do Vale Rocha é subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil e acumulará a função com o cargo de ministro interino dos Direitos Humanos.

Alvo de polêmicas e criticada no Planalto por ter uma atuação "apagada", Luislinda Valois pediu desfiliação do PSDB em dezembro passado para poder continuar no cargo mesmo depois do desembarque dos tucanos do governo. Apesar disso, Luislinda já estava praticamente descartada na equipe. Temer buscava apenas um substituto.

A permanência de Luislinda no cargo foi questionada após o jornal O Estado de S.Paulo revelar que a ministra pediu para acumular seu salário de desembargadora aposentada com a remuneração da pasta alegando que o não recebimento dos dois valores configuraria "trabalho análogo à escravidão." Com o cargo no ministério, ela recebia R$ 33,7 mil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos