Quer viajar para o Reino Unido? Saiba o que muda após Brexit

SÃO PAULO, 27 JUN (ANSA) - Após a surpreendente vitória do "Leave" no referendo popular realizado na última quinta-feira (23) que decidiu que o Reino Unido deixará a União Europeia, muitas perguntas sobre o que acontecerá na política e na economia da região e como isso pode afetar os brasileiros começaram a surgir.   


Uma das principais dúvidas é o que muda para os brasileiros que pretendem viajar para o Reino Unido. A resposta é que nenhuma grande mudança acontecerá.   


Para todo e qualquer brasileiro que quiser ir para o Reino Unido, o modo de entrada continua o mesmo: o viajante apenas deve ter seu passaporte em dia, suas passagens de ida e de volta, para que seja possível controlar o tempo de permanência no país, e a comprovação da renda e do endereço da estadia, que pode ser exigida pela imigração britânica.   


Como não há necessidade de uma documentação específica ou de um visto, como nos Estados Unidos, a entrada na região não deve ter grandes alterações no futuro.   


Para os brasileiros que têm cidadania de algum país europeu, e assim também contam com um passaporte europeu, ou que pretendem ingressar no Reino Unido pela Europa, o procedimento também continua o mesmo. No entanto, a situação poderá mudar nos próximos dois anos. O motivo é o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que trata da possibilidade de um país deixar a União Europeia por livre e espontânea vontade. De acordo com o artigo, está previsto um prazo de até dois anos para que as negociações entre a União Europeia e o país que a está deixando sejam realizadas. Só após esse período é que o país realmente terá deixado a UE.   


Sendo assim, até o Reino Unido realmente não pertencer mais à União Europeia, as medidas entre todas as outras nações continuam as mesmas, inclusive no que se refere ao turismo. Isso quer dizer que mesmo uma pessoa nascida em algum país do grupo, como Itália, Grécia ou Alemanha, não deve ficar preocupada em fazer uma viagem para Londres, por exemplo, no próximo verão.   


Algo que pode mudar, no entanto, tanto para brasileiros quanto para europeus é que, com a expressiva queda da libra esterlina - o Reino Unido pode passar a ser um destino de viagens mais viável por um determinado período, no momento ainda incerto. A moeda teve sua maior queda desde 1985 na última sexta-feira (24), quando caiu para 1,3228 perante ao dólar. Já nesta segunda (27), às 11h 30 no horário de Brasília, a libra registrou 1,3205 por dólar, o que representa uma queda de 3,47%. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos